Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeitos do conceito derridiano de tradução nas relações acadêmicas
Layane Machado Buosi, Silas Borges Monteiro, Emília Carvalho Leitão Biato

Última alteração: 19-09-17

Resumo


Esta pesquisa está dividida didaticamente em três momentos. No primeiro momento foi feita uma revisão de literatura do conceito de tradução, no momento seguinte, deu-se destaque a nossa escolha pelo entendimento derridiano do conceito de tradução. Aqui é feito o link com o conceito de Transcriação de Haroldo de Campos e de Didática da Tradução de Sandra Corazza, são essas leituras que nos auxiliaram a fazer a ponte com o campo da Educação. Por fim, propomos uma experimentação do conceito de tradução, para tal ligou-se o conceito de tradução à didática enquanto campo de pesquisa. Utilizando-se do Survey Monkey, uma ferramenta online de questionários, solicitamos aos participantes desta pesquisa que traduzissem o trecho de um texto de Nietzsche. Foram amostra desta pesquisa dois docentes, seis discentes e dez pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Cuiabá. Quando falamos em didática, entendemos que o próprio termo nos transporta ao campo das relações acadêmicas, aqui simplificadas como relações entre: professor aluno e ensino aprendizagem. Logo, neste trabalho, temos como intuito discutir como as relações entre professor-aluno e ensino-aprendizagem se vinculam ao conceito de tradução e quais os avanços e desdobramentos serão possibilitados a partir deste. Entendemos que ao ensinar o professor não apenas transporta o conteúdo do livro para o aluno, mas o traduz. O conceito de tradução utilizado aqui é concebido através da Filosofia da Diferença enquanto um gesto desconstrutor, que põe em dúvida a ideia de que a leitura de qualquer texto, possui uma mensagem pré-determinada que precisa ser codificada, ou seja, que há um sentido presente-oculto no texto. O método otobiográfico, proposto por Monteiro, em sua tese de doutoramento (2004), foi aqui utilizado com intuito de investigar a concepção dos docentes e discentes quanto às possibilidades de criação no espaço acadêmico. É preciso deixar claro que não se pretende neutralidade no processo de tomada dos dados construídos na pesquisa. Após receber o material coletado foram produzidos textos a partir da leitura feita da produção dos participantes. Esse movimento de produção é parte imprescindível para o método de análise aqui proposto, pois tanto pesquisados quanto pesquisadora são, neste sentido, “escrileitores”. Ao colocar em movimento o conceito de tradução não se pretende corrigir ou censurar nenhuma significação já atribuída, mas sim, colocá-las em movimento a partir de outros operadores. Sabe-se que este tema, com suas abordagens e nuances, tem, de algum modo, impacto na vida dos indivíduos, especificamente, nos espaços educacionais, daí julgo que vale a pena serem repensados.