Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
REPRESENTAÇÕES DOCENTES SOBRE GÊNERO E SEXUALIDADE NO CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO.
Ana Carla Novaes de Carvalho

Última alteração: 26-09-17

Resumo


RESUMO: As representações sociais estão presentes no cotidiano sob diversas formas. São fenômenos elaborados e compartilhados socialmente, constituindo-se, duplamente, como parte do processo e produto das relações sociais. Elas desenham discursos e expressam visões de mundo e, portanto, se encontram carregadas de significados morais, ideológicos, políticos, epistemológicos, etc. Ao mesmo tempo em que funcionam como reguladoras das práticas cotidianas, reforçando estigmas sociais, elas também podem operar como mecanismos de crítica e subversão. A pesquisa se dedica ao estudo das representações sociais de docentes do ensino médio sobre as questões de gênero e sexualidade no contexto das atividades curriculares. Visando caracterizar as referidas representações, o trabalho parte da Teoria das Representações Sociais (TRS), desenvolvida por Serge Moscovici (1978) no campo da psicologia social e procura articular aos estudos realizados por Michel Foucault (2008) em torno do fenômeno da formação discursiva e dos regimes de verdade, tendo em vista a investigação sobre os processos de construção e desconstrução de discursos e práticas acerca das questões de gênero e sexualidade no âmbito do currículo. Considerando-se o quadro de tensões políticas e sociais identificado na contemporaneidade, nosso problema de pesquisa consiste em saber como as e os docentes de ensino médio, na cidades de Cuiabá e Várzea Grande - MT, representam socialmente as temáticas de gênero e sexualidade e sua possível inserção no currículo escolar? Nossa hipótese é de que, apesar da relevância que o debate em torno do respeito às diferenças de gênero e sexualidade ganhou no cenário educacional brasileiro, as representações docentes sobre essas temáticas se mostram bastante instáveis e diversificadas, sobretudo, porque os atores envolvidos, tanto na formulação quanto na execução  do currículo são heterogêneos e suas práticas marcadas pela diversidade de valores e posturas. O objetivo geral consiste em analisar os tipos de representações sociais presentes nos espaços educacionais, e de maneira mais específica, caracterizar as formas de discursividade, os processos de produção, reprodução, construção e desconstrução dessas formas representacionais por parte das e dos docentes. O levantamento das representações se deu por meio de entrevistas pré-estruturadas e grupos focais. A abordagem vale-se uma perspectiva qualitativa no sentido de categorizar, descrever e interpretar os dados levantados, procurando contribuir para investigações subsequentes, que tenham por objeto fenômenos diretamente implicados nas práticas educativas do presente e do futuro.

 

Palavras-Chaves: Representações Docente; Gênero; Sexualidade.