Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Cuidador de idoso: conhecimentos, atitudes e práticas preventivas de quedas
ABIGAIL ROXANA NINA MAMANI

Última alteração: 28-09-17

Resumo


Com o envelhecimento da população e o aumento das doenças crônicas não transmissíveis, os idosos passaram a necessitar de um cuidador em decorrência do grau de dependência ao longo dos anos. A queda é um dos problemas mais frequentes no idoso. É um evento factível de prevenção, por isso, medidas preventivas de quedas devem ser adotadas tanto pelo idoso quanto pelo seu cuidador. O objetivo deste estudo foi analisar o conhecimento, as atitudes e as práticas de prevenção de quedas de idosos realizadas por cuidadores informais. Estudo transversal analítico, desenvolvido com cuidadores de idosos, em 7 unidades de Estratégia Saúde da Família (ESF) situadas na região norte do município de Cuiabá – Mato Grosso. A coleta dos dados ocorreu nos meses de junho a agosto de 2017, por meio de entrevista. Foi utilizado um questionário elaborado pela pesquisadora e validado por um grupo de juízes contendo questões sociodemográficas, condições de saúde, de conhecimento, atitudes e práticas de prevenção de quedas. Os dados foram codificados e digitados em planilhas eletrônicas do programa Epi. Info versão 7.2 e analisados de forma descritiva. Participaram do estudo 97 cuidadores de idosos, a maioria (72,2%) está na faixa etária de 40 a 69 anos e é do sexo feminino (85,6%), 47,7% são casados/união estável, 71,1% possui 9 ou mais anos de estudo, 60,9% possui renda de 1 a 3 salários mínimos, proveniente do trabalho (55,1%). Quanto a relação com o idoso, a maioria (60,8%) cuida da mãe/pai, 44,3% exercem essa função por um período de tempo que varia de <1 a 4 anos, 73,2% não possuem experiência anterior como cuidador e quase a totalidade (94,8%) não recebeu capacitação sobre prevenção de quedas do idoso. Em relação ao estado de saúde, 40,2% dos cuidadores se autoavaliam como bom, a maioria (70,1%) refere possuir problemas de saúde, tais como hipertensão (28,9%) e problemas de coluna (17,5%). Em relação ao conhecimento sobre quedas e prevenção de quedas, 53,6% dos cuidadores considera que todos os idosos podem cair e 38,1% que sua ocorrência é frequente. As principais causas para quedas dos idosos referidas foram alteração do equilíbrio (50,5%), perda da força muscular (48,5%) e tapetes soltos na casa (25,8%). Quase a totalidade (99%) dos cuidadores refere que esse evento traz consequências, sendo a fratura a principal (82,5%) e a maioria (89,7%) refere ser possível a sua prevenção. Quanto às atitudes, somente 14,4% dos cuidadores discordam em considerar a queda como evento natural na velhice. Para a maioria (60,7%) a queda é um problema muito sério e que é dever do cuidador se preocupar com esse evento (92,8%). Mais da metade (55,7%) acredita na prevenção das quedas. O cuidado/supervisão (57,7%), evitar tapetes soltos no domicilio (28,9%), evitar piso molhado (23,7%) e orientar o idoso caminhar com cautela (18,6%) foram as principais medidas preventivas de quedas referidas pelos cuidadores.