Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE ÍNDICES DE RISCO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS EM UMA REGIÃO DE TRANSIÇÃO CERRADO-AMAZÔNIA
Bruno Henrique Casavecchia, Adilson Pacheco de Souza, Daiane Cristina de Lima, Brena Geliane Ferneda

Última alteração: 22-09-17

Resumo


O monitoramento do fogo na transição Cerrado-Amazônia é fundamental na prevenção e combate dos incêndios florestais, principalmente pela alta intensificação da atividade antrópica que vem ocorrendo nos últimos anos nesta região. Através de dados meteorológicos, os índices de risco de incêndios permitem estimar de modo quantitativo o período com maior probabilidade de ocorrência de incêndios florestais, tornando-se ferramentas essenciais na sua prevenção e combate. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência de diferentes índices de risco de incêndio na predição de incêndios florestais, para a cidade de São José do Rio Claro, região de transição Cerado-Amazônia. A série de dados estudada representa o intervalo de 06/1998 a 08/2017, e foi coletada na estação meteorológica (convencional/automática) instalada na latitude: -13,45ᵒ, Longitude: -56,68ᵒ, altitude média de 340 metros, código A-903, pertencente ao Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Os índices de risco de incêndios avaliados foram Ängstron, EVAP/P, FMA, FMA+, Nesterov, P-EVAP e Telicyn, baseados basicamente em dados de temperatura e umidade relativa do ar, evaporação e velocidade do vento. Para avaliar a eficiência dos índices aplicou-se o teste estatístico SKILL SCORE, comparando os valores índices com  os dados de focos de calor dos satélites NOAA-12 e AQUA_M-T disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). As analise da série de dados meteorológicos demonstraram que as temperaturas médias variaram entre 22,82 (julho) a 26,95ᵒC (outubro), as temperaturas máximas entre 34,53 (maio) a 38,68ᵒC (setembro) e as temperaturas mínimas entre 11,05 (julho) a 20,04ᵒC (março). A umidade relativa do ar média variou entre 64,84 (agosto) a 88,60% (fevereiro), umidade relativa do ar máxima entre 92,67 (outubro) a 97,00% (fevereiro) e a umidade relativa do ar mínima de 13,50 (agosto) a 42,00% (janeiro). A velocidade do vento variaram de 0,85 (fevereiro) a 1,12 m.s-1 (setembro) e as rajadas de 9,56 (maio) a 15,45 m.s-1 (outubro). A média da soma das precipitações foi de 1735,13 mm, sendo o mês de julho com menor acumulo (3,89 mm) e janeiro com maior acumulo (314,08 mm) de chuvas. O número total de focos de calor registrado pelos satélites no município de São José do Rio Claro foi de 7532 focos, tendo o ano de 2004 o maior número de focos registrados 1392 focos. FMA foi o índice com maior percentagem de acertos de dias com ocorrência de incêndios (60,50%), enquanto que para dias de não ocorrência de incêndio as melhores respostas foram dadas pelo índice de Ängstron (74,60%), e nos acertos gerais Ängstron também foi o com maior percentual (67,11%). Pelo índice de Skill Score, Nesterov foi o índice com melhor desempenho seguido de P-EVAP e Ängstron, todavia, ressalta-se que a quantidade de falhas na série histórica de dados pode ter comprometido o desempenho dos índices acumulativos.