Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Acúmulo de forragem de capim-ipyporã com uso de fertilizante, inoculante e em consórcio com amendoim forrageiro durante o outono
Maira Laís Both Bourscheidt, Bruno Carneiro e Pedreira, Dalton Henrique Pereira

Última alteração: 17-10-17

Resumo


O nitrogênio (N) é elemento essencial na produção de forragem. Objetivou-se avaliar o acúmulo de forragem em pastagens de capim-ipyporã (Brachiaria spp.) sob estratégias de aporte de nitrogênio por duas estações consecutivas de outono. O experimento foi conduzido na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop – MT e seguiu um delineamento em blocos completos casualizados com 6 tratamentos e 3 repetições com capim-ipyporã: sem fertilização mineral de nitrogênio (controle); 80 kg N.ha-1.ano-1 (fertilização mineral); inoculante (Azospirillum brasilense); 80 N.ha-1.ano-1 + inoculante; consórcio com amendoim forrageiro (Arachis pintoi cv. Mandobi) e consórcio + inoculante. As avaliações foram realizadas na estação de outono de 2015 e 2016. As pastagens foram cortadas sempre que atingiram altura de 25 cm, coletando por parcela a forragem contida no interior de duas molduras (0,5 m2) na altura do resíduo (12 cm) e em pontos representativos. Após o corte, as amostras foram pesadas e colocadas em estufa de circulação forçada de ar a 55 °C até peso constante para secagem e posterior determinação de peso seco. Os dados foram analisados utilizando o método de modelos mistos, por meio do procedimento MIXED do software estatístico SAS. Para escolha da matriz de covariância foi usado o critério de informação de Akaike. As médias dos tratamentos foram estimadas com o “LSMEANS” e a comparação entre elas realizada por meio da probabilidade da diferença (“PDIFF”) a um nível de significância de 5%. Houve interação para estação e tratamento (P=0,0466). O acúmulo de forragem para outono de 2015 foi maior quando comparado ao outono de 2016 (3.548 e 1.284 kg MS.ha-1, respectivamente). No outono do primeiro ano, os maiores acúmulos foram observados para os tratamentos consórcio + inoculante e fertilização mineral e os menores acúmulos para os tratamentos controle e inoculante (4.078, 3.684, 3.242 e 3.166 kg MS.ha-1, respectivamente). No outono do segundo ano, os maiores acúmulos foram observados para os tratamentos fertilização mineral, fertilização mineral + inoculante, consórcio + inoculante e o menor acúmulo para o tratamento controle (1.803, 1.645, 1.482 e 536 kg MS.ha-1 respectivamente). A melhor resposta mensurada na estação de outono do primeiro ano ocorreu em função da disponibilidade hídrica, já que a pluviosidade nesse ano foi maior. Independente da forma do aporte realizado, o capim-ipyporã apresentou-se responsivo a fertilização quando comparado ao controle. Isso é de suma importância para os sistemas de produção em pastagens.