Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Revisão taxonômica de Marmosops pinheiroi (Pine, 1981); (Didelphimorphia, Didelphidae)
Claudilívia Ferreira Santos, Rogério Vieira Rossi

Última alteração: 10-05-18

Resumo


O gênero Marmosops é composto por marsupiais de corpo pequeno da família Didelphidae, amplamente distribuídos nas florestas úmidas dos Neotrópicos que vão do Panamá ao sul do Brasil e da Bolívia. Esse gênero recebeu considerável esforço taxonômico recentemente, possibilitando maior compreensão acerca do reconhecimento do status taxonômico de alguns de seus representantes. Entretanto, uma revisão mais abrangente se faz necessária, pois muitos nomes disponíveis ainda não tiveram status taxonômico avaliado e, possivelmente, muitas espécies conhecidas por serem amplamente distribuídas são complexos de espécies, como é o caso de Marmosops pinheiroi. A taxonomia de M. pinheiroi sofreu uma série de modificações, sendo descrito inicialmente descrita como subespécie de M. parvidens por Pine (1981). Mais recentemente, Voss et al. (2001) elevaram este táxon à espécie válida, definindo sua distribuição geográfica como restrita ao norte da Amazônica, incluindo desde o sudeste da Venezuela até o norte do Pará. Entretanto, exemplares supostamente pertencentes a esta espécie vêm sendo coletados na porção meridional da Amazônia. O objetivo deste trabalho é analisar a variação morfológica de Marmosops pinheiroi e avaliar se há mais de uma espécie incluída neste táxon. Será analisada a maior quantidade possível de espécimes depositados em coleções zoológicas, os quais serão agrupados em diferentes classes etárias de acordo com a eclosão e desgaste dos dentes. Medidas corpóreas e informações sobre a procedência dos exemplares serão obtidas a partir de suas próprias etiquetas. As medidas crânio-dentária serão obtidas de indivíduos adultos, além de caracteres da morfologia externa. Para avaliar o dimorfismo sexual será utilizado o teste t de Student. Também serão empregadas Análises de Componentes Principais e Análise de Função Discriminante para testar possíveis diferenças morfométricas. Todos os testes estatísticos serão realizados a partir do programa SPSS 13 em um nível de significância de 5%. O reconhecimento de espécies neste estudo será fundamentado na combinação dos resultados moleculares já obtidos anteriormente e na existência de caracteres morfológicos e morfométricos robustos a serem obtidos no presente estudo, desde que não sejam variações geográficas, sexual e etária. Espera-se que, com o emprego dessa ferramenta, que combina um maior número de caracteres (morfológico, morfométrico e molecular), possa-se revelar uma maior diversidade associada a este complexo, caracterizando e definindo a distribuição geográfica dos táxons a serem reconhecidos.

 

Palavras-chave: Didelfídeos, Análise molecular, Análise morfológica