Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Estratégia de Saúde da Família de Rondonópolis-MT: avaliação sob a ótica dos usuários e profissionais
Lorena Araujo Ribeiro, JOAO HENRIQUE GURTLER SCATENA, BRENDA STEPHANY GALANTINI, JANESSA CAROLINA DALLA CORT, REGIANE NOVAIS DA SILVA REIS, Laimary Silva Pereira, JACKSON SOUZA BENDER, FERNANDO ALMEIDA GOMES

Última alteração: 26-09-17

Resumo


Resumo: No Brasil, a Atenção Primária à Saúde (APS) materializa-se na forma de um leque diversificado de modelagens de equipe, contudo, imprime na Estratégia de Saúde da Família (ESF) a natureza de reorientação de modelo de atenção.  Ressalta-se que a qualidade destes serviços está intimamente relacionada à sua capacidade de ser acessível à população em primeira instância (acesso de primeiro contato); de oferecer uma fonte continuada e de longa duração de assistência à saúde (longitudinalidade); de proporcionar abordagens mais integrais (integralidade); de promover articulação entre um conjunto de serviços e informações com vistas a responder às necessidades dos usuários (coordenação); e de orientar as práticas assistenciais a indivíduos, família e comunidade (orientação comunitária e orientação familiar). Nessa perspectiva, a presente investigação consiste em uma pesquisa de doutorado com o objetivo de avaliar a Estratégia de Saúde da Família de Rondonópolis (MT) frente aos atributos essenciais (acesso de primeiro contato, longitudinalidade, integralidade e coordenação) e derivados (orientação comunitária e orientação familiar) da APS. Estudo quantitativo e qualitativo, o primeiro de delineamento transversal e o segundo com metodologia própria de pesquisa documental e de estudo de caso. A pesquisa está ocorrendo em Unidades de Saúde da Família (USF) com mais de dois anos de funcionamento, localizadas na região urbana do referido município e atualmente encontra-se em fase de coleta de dados da etapa quantitativa, a qual compreende a aplicação do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool) em usuários adultos e profissionais das USF. Os resultados parciais denotam: a APS de Rondonópolis possui atualmente 41 USF, sendo duas localizadas na região rural e seis com menos de dois anos de funcionamento, o que resultou em 35 unidades elegíveis para este estudo. Deste universo, foram pesquisadas até o momento 12 USF que são responsáveis pelo atendimento de aproximadamente 7238 famílias. Uma vez selecionadas as unidades, procedeu-se o recrutamento dos usuários por meio de visita às unidades em períodos cujo cronograma de atendimento era dedicado a adultos. Nessa abordagem inicial, em sala de espera, era explicitado o objetivo da pesquisa, os requisitos necessários para participação e os procedimentos de seleção dos respondentes. Foram abordados 254 usuários adultos, contudo, mediante aplicação de diário de campo verificou-se que apenas 236 atendiam os critérios de inclusão, ou seja, tinham idade igual ou superior a 18 anos; havia sido submetido a atendimento médico ou realizado pelo enfermeiro nos últimos doze meses e possuíam cadastro familiar na USF. Doze pessoas mesmo atendendo aos critérios de inclusão, recusaram participar da pesquisa. Observou-se que a maioria das pessoas abordadas era do sexo feminino e buscavam por atendimento com o profissional médico. Dentre as 242 pessoas elegíveis, 135 foram entrevistadas. A execução do presente estudo está possibilitando conhecer as diferentes realidades e problemas que município de Rondonópolis enfrenta no atendimento a indivíduos e coletividades, ademais, espera-se ainda avançar na discussão da qualidade de ações e serviços em saúde, além de oferecer subsídios à gestão para planejamentos mais estratégicos e condizentes com as realidades locais, resultando no uso inteligente dos recursos existentes.

Palavras-Chaves: Atenção Primária à Saúde; Avaliação de Serviços de Saúde; PCATool.