Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
CIRCUNFERÊNCIA DO PESCOÇO COMO MARCADOR INDEPENDENTE DA PRESSÃO ARTERIAL EM UNIVERSITÁRIOS
LÍDIA PITALUGA PEREIRA, Ana Paula Muraro, Márcia Gonçalves Ferreira

Última alteração: 26-09-17

Resumo


A circunferência do pescoço vem sendo utilizada recentemente em estudos populacionais, como medida marcadora de localização de gordura, podendo ser utilizada para predizer desfechos associados ao risco cardiovascular. A sua utilização se justifica pela simplicidade, baixo custo e praticidade.  O objetivo desse estudo foi analisar a associação independente dos marcadores antropométricos de localização de gordura com a pressão arterial em universitários. Trata-se de um estudo transversal com universitários, de idade entre 16 e 25 anos, que ingressaram nos 21 cursos de graduação de período integral da Universidade Federal de Mato Grosso, no campus de Cuiabá. Os dados foram coletados por questionário autoaplicado, com aferição de medidas antropométricas e da pressão arterial (PA). Os marcadores antropométricos de localização de gordura analisados foram a circunferência da cintura, razão cintura-altura e a circunferência do pescoço. As circunferências foram aferidas com fita métrica inelástica e inextensível da marca Sanny. Mediu-se a circunferência do pescoço na altura média do pescoço, ao nível da cartilagem cricotireoidea, estando o estudante em pé. A circunferência da cintura foi medida ao nível da menor curvatura abdominal. As medidas foram feitas em duplicata e a média foi utilizada nas análises. O índice de massa corporal foi calculado com base no peso e estatura (kg/m2), sendo também calculada a razão cintura/altura. A PA sistólica (PAS) e diastólica (PAD) foram aferidas através de monitor automático da marca OMRON, modelo HEM-742 INT, realizando-se três medidas com intervalos de dois a três minutos entre elas, sendo considerada a média das duas últimas nas análises, conforme preconiza a Sociedade Brasileira de Cardiologia. Para análise estatística, transformou-se a PAS e a PAD em logaritmo para normalizar a distribuição. Análise de regressão linear foi utilizada para verificar a associação dos marcadores antropométricos de localização de gordura e os desfechos (PAS e PAD), ajustando-se por sexo, idade. Ajuste adicional por IMC foi realizado para remover o efeito da adiposidade total. As análises estatísticas foram realizadas com auxílio do software SPSS, versão 17.0 para Windows. Este estudo foi aprovado pelo CEP do Hospital Universitário Júlio Müller, sob parecer nº 1.006.048.  Foram avaliados 543 universitários, 51,7% do sexo feminino, idade média de 18,7 (DP= 1,58 anos) e 48,8% pertencentes à classe econômica B. Observou-se maiores médias da PAS para o sexo masculino (p<0,01), não havendo diferenças nas médias da PAS e PAD segundo a idade (p=0,91; p=0,18, respectivamente). Nas análises de regressão linear bruta todas as variáveis de localização de gordura se associaram à PAS e à PAD (p<0,001, respectivamente). Entretanto, nos modelos ajustados, apenas a circunferência do pescoço manteve a associação com a PAS. Conclui-se que apenas a circunferência do pescoço apresentou associação com a PAS, independentemente do efeito devido à adiposidade total, o que fala a favor da possível utilização dessa medida como marcador de risco cardiovascular associado à localização de gordura para triagem do risco cardiovascular.

Palavras-chave: Pescoço, Pressão arterial, Universidades