Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Percepções sobre a questão agrária no Brasil entre os alunos do ensino médio no IFMT – Campus São Vicente
Silvia Jacinta Ritter-Pimenta, Osvaldo Rodrigues Júnior

Última alteração: 29-09-17

Resumo


O Brasil, desde sua origem, é um país de grade proporção geográfica, de economia predominantemente agrária e de enormes desigualdades sociais. O processo de distribuição e apropriação da terra no Brasil, assumiu feições profundamente elitista, que perduraram ao longo de sua história. Na sociedade brasileira é bastante perceptível um entendimento coletivo de que o agronegócio é um grande gerador de emprego e renda no país. Comumente as pessoas reproduzem a ideia de que as grandes fazendas ou as empresas ligadas ao agronegócio são um elemento de resolução dos problemas econômicos do país, dado o montante de capital gerado e acumulado por elas. Contudo, é bastante incomum encontrar indivíduos na sociedade brasileira que indique alguma problemática resultante do chamado agronegócio. Ainda mais incomum é encontrar pessoas que consigam estabelecer uma relação entre os problemas socioeconômico enfrentado pelos brasileiros, a luta pelo acesso à terra e a grande concentração de terras no país. Este entendimento interiorizado pelos indivíduos pode ser resultado da construção de um discurso, reproduzido em diferentes esferas sociais. Nesse sentido, identificar o modo como os estudantes secundaristas do Curso Técnico em Agropecuária integrado ao Nível Médio do IFMT – Campus São Vicente percebem a questão agrária brasileira, e a partir de então problematizar os motivos pelos quais esta concepção está assim assimilada e disseminada na forma de um discurso construído, bem como as implicações desta concepção na sociedade, contribui para buscar alternativas que transformem essas visão, que permitam descontruir tal discurso, e possibilitem uma nova visão da sociedade agrária brasileira.

 

Palavras-chave: Questão agrária, Discurso, Jovens Estudantes