Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Relações e Interações raciais: Identidades em múltiplas noções
Michelangelo Batista

Última alteração: 28-09-17

Resumo


A realidade identitária do negro ainda exige considerável esforço científico para analisar, considerando a contemporaneidade. Em nossa dissertação de mestrado constatamos que a identidade negra não é essencialmente coletiva, mas também existem individualmente e a partir dessa constatação, supomos que as mesmas estão atreladas as experiências de “ser negro”. Essas suposições de identidades negras individuais sugerimos denominar de “múltiplas noções de negritude”, no entanto, tal acepção teórica, no mestrado ficou no âmbito da suposição. Compreendemos que a identidade negra não se limita à uma ancestralidade africana e ou à uma negritude militante, mas pode ser considerada múltiplas em noções referente as experiências nas relações e interações raciais, isso constitui nossa hipótese. Contudo ponderadamente e prezando pelo rigor científico, não propomos uma investigação que busque, por intermédio de incursões teóricas e empíricas evidenciar a viabilidade da referida acepção teórica, reduzindo à presente proposta de pesquisa à consolidação de um conceito, mas objetivamos investigar como se dá a construção identitária negra na contemporaneidade, considerando a endo e exo atribuição, ou seja, a identidade negra pelo olhar negro e não negro, da negritude e da branquitude. Para isso, propomos como fonte de dados alunos do EJA da rede municipal de ensino de Cuiabá e acadêmicos do primeiro e último semestre de curso (s) de nível superior em uma instituição pública, no caso a escolhida foi a UFMT. A metodologia que propomos utilizar é de cunho qualitativa, sem desprezar dados quantitativos e fará uso da observação participante, caderno de campo e entrevista semiestruturada. Não obstante, o presente projeto apresenta o seguinte problema: “Como se dá a construção identitária negra contemporânea levando em consideração realidades políticas e educacionais vigentes nas perspectivas da exo e endo atribuição?”. Assim, para responder essa questão propomos recorrer a autores como: Andrews (1998), Nogueira (1985), Hasenbalg (1997), Cunha Júnior (1992), Gilberto Velho (2003), Thompson (1992), Dubar (2009), Appiah (1997), Mintz e Price (2003), Bourdieu (1997), entre outros, prezando pela ética e o rigor científico.   Palavras-chave: Relações Raciais. Identidade Negra. Negritude. Branquitude. Múltiplas noções de negritude. .