Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
CINZA VEGETAL NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOLO, SOB PASTAGEM EM RECUPERAÇÃO NO CERRADO.
LUIZ FERNANDO S MIRANDA

Última alteração: 02-10-17

Resumo


Estima-se que 80% das pastagens cultivadas no Brasil Central, responsáveis por mais de 55% da produção de carne nacional, encontrem-se em degradação. Muitos desses problemas têm sua gênese na alteração das propriedades físicas dos solos. A adoção de práticas que promovam a recuperação de pastagens é um dos caminhos para reversão dessa situação, uma delas é a utilização de resíduos sólidos que promovam a reconstituição da fertilidade do solo e que incremente o teor de matéria orgânica, direta ou indiretamente. A utilização da cinza vegetal pode ser uma opção viável para a recuperação de pastagens tanto do ponto de vista agrícola quanto no ponto de vista econômico, pois tem efeito corretivo e é fonte de nutrientes tais como: cálcio, magnésio, fósforo e potássio, como do ponto de vista ambiental, pois implicaria numa adequada disposição deste resíduo. Objetiva-se avaliar a influência das doses e formas de aplicação da cinza vegetal nas propriedades físicas do solo em pastagem em recuperação no Cerrado mato-grossense. O experimento está sendo conduzido em campo, na fazenda experimental do Instituto mato-grossense do algodão (IMA) na cidade de Rondonópolis, por dois anos consecutivos (2016 e 2017). Em uma área cultivada com Brachiaria brizantha cv marandu, em processo de degradação sob um solo classificado como Neossolo Quartzarênico. São aplicados seis tratamentos com seis doses de cinza vegetal (0, 3, 6, 9, 12 e 15 t ha-1) e com duas formas de aplicação (incorporado com grade leve e não incorporado), configurando um esquema fatorial de 6x2 em um delineamento experimental de blocos casualizados em faixas, com 4 repetições. A aplicação dos tratamentos será no início do período chuvoso, em dezembro. As amostras deformadas e indeformadas são coletadas nas camadas 0-20 cm e 20-40 cm. Estão sendo realizadas determinações como granulometria, argila dispersa em água, grau de floculação, densidade do solo, densidade das partículas, porosidade total, macro e microporosidade, resistência a penetração, estabilidade dos agregados, curva de retenção da água no solo, intervalo hídrico ótimo e índice S. O projeto encontra-se em processo de finalização da análise das amostras coletadas na área experimental, até o momento os resultados demonstram interferência das doses e das formas de aplicação nas propriedades físicas do solo.  Na densidade e porosidade do solo na camada de 0-20 cm apresentou efeito isolado para as doses de cinza vegetal e formas de aplicação; Aumento da macroporosidade na camada 0-20 e diminuição na camada 20-40cm; Aumento linear da microporosidade na camada 20-40 cm. As analises concretizadas até o momento revelam que a cinza vegetal tem potencial para influenciar nas características físicas do solo tanto quando incorporada com grade leve quanto não incorporada, demostrando alterações positivas no que diz respeito as condições físicas do solo, espera-se ainda com a continuidade do estudo, definir qual a dose mais adequada de cinza vegetal e forma de aplicação, através da definição do índice hídrico ótimo e do índice S, que são parâmetros utilizados para determinação da qualidade do solo.