Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Aplicação de diferentes técnicas de coloração em Vampyrum spectrum (Linnaeus, 1758) (Phyllostomidae, Chiroptera, Mammalia)
Ricardo Firmino de Sousa, Paulo Cesar Venere, Karina de Cassia Faria

Última alteração: 25-09-17

Resumo


Vampyrum spectrum é conhecida por ser a maior espécie de morcegos do novo mundo. No entanto, poucas são as informações citogenéticas conhecidas para a espécie, a qual teve apenas identificação do seu número diploide descrito a partir de um exemplar capturado na década de 70 na América Central. No sentido de ampliar as informações para a espécie, o presente trabalho objetivou realizar o primeiro estudo citogenético de V. spectrum, envolvendo as técnicas de bandamento C, impregnação por nitrato de prata (AgNORs), coloração com cromomicina A3 e Fluorescente in situ hybridization (FISH) com sondas para rDNA 18S e sequencias teloméricas. A espécie apresentou 2n = 30 cromossomos e o número de braços autossômicos (NA) igual a 56. A técnica de bandamento C evidenciou blocos de heterocromatina constitutiva nas regiões pericentroméricas de todos os cromossomos e blocos terminais nos braços curtos dos pares de cromossomos 5, 6, 8 e 9. As AgRONs foram evidenciadas nas constrições secundárias do braço longo do par de cromossomos nº 1. CMA3 se mostrou bastante informativa, no sentido de produzir bandas múltiplas nos cromossomos, que permitiram a identificação precisa dos diferentes pares cromossômicos que constituem o cariótipo da espécie. A FISH com a utilização de sondas para rDNAs 18S revelou sítios no par de cromossomo número um, confirmando os dados de AgNORs e as sondas teloméricas revelaram apenas sítios terminais em todos os cromossomos do complemento. Desta forma, o estudo permitiu a identificação de regiões cromossômicas específicas ainda não conhecidas para a espécie, fornecendo importantes dados para futuros estudos comparativos da espécie com os demais Chiroptera já estudados.