Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
POLÍTICAS EDUCACIONAIS E LIVROS DIDÁTICOS DIGITAIS DE QUÍMICA: Inter-relações econômicas, acadêmicas e pedagógicas
Edimarcio Francisco Rocha, Irene Cristina Mello

Última alteração: 28-09-17

Resumo


O projeto em desenvolvimento investiga as inter-relações entre as políticas públicas educacionais, a produção de livros didáticos digitais de Química e de múltiplos segmentos como, empresas de tecnologia, editoras, autores, professores e pesquisadores. Nessa conjuntura, destacamos a política que resultou na aprovação de obras digitais de química no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2015 e a analisamos tendo como referência o método Ciclo de Políticas proposto por Stephen Ball e colaboradores. O método descreve que ao analisar uma política educacional, é necessário entender as diversas faces de três contextos primários, sendo eles, o da Influência, da Produção de Textos e o da Prática. Esses Contextos atuam de forma não linear e se inter-relacionam de tal modo que, em uma disputa de interesses envolvendo grupos diversos, a saber: políticos, empresários, professores e pesquisadores, resulta na estruturação ou reestruturação de políticas públicas direcionadas à educação. Dessa forma, em nosso estudo sobre o PNLD 2015, investigamos a produção de políticas educacionais e suas relações com a atuação de grupos econômicos que as influenciam, bem como, suas implicações na elaboração de obras didáticas digitais, trazendo referências de como esse movimento ocorre em outros países e no Brasil. As questões pedagógicas ganham voz a partir de grupos que se dedicam às pesquisas envolvendo a utilização de tecnologias digitais nas práticas didáticas e que convergem para a evolução do livro didático impresso para o formato digital como um processo natural do desenvolvimento tecnológico. Assim, por meio da análise de documentos e de entrevistas com autores de livros didáticos entre outros, tendo como suportes teórico-metodológico o método Ciclo de Políticas e à Análise de Conteúdo, buscamos elementos que permitam teorizar sobre quais grupos influenciaram a produção do edital do PNLD 2015, como isso ocorreu e quais os resultados nos livros de química produzidos. No atual estágio da pesquisa, à análise dos dados aponta para uma rede de interesses econômicos que atua abstratamente na produção da política pública e que é constituída por empresas do ramo tecnológico digital, além das editoras, sobre o PNLD, programa federal que movimenta valores em torno de R$ 1,3 bilhões anuais. Um dos resultados práticos dessa disputa econômica, foi a produção de obras didáticas digitais desarticuladas com questões de ordem teórico-metodológica.