Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O CUIDADO NA PREPARAÇÃO PARA O PARTO: HUMANIZAÇÃO DESDE A GESTAÇÃO
Daiane Correia Sales, Fernanda Cândido Magalhães

Última alteração: 02-10-17

Resumo


O Ministério da Saúde (MS) instituiu, por meio da Portaria 569, de 1º de Junho de 2000, o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN), no âmbito do Sistema Único de Saúde, cujo objetivo é a ampliação do acesso, da qualidade e da capacidade da oferta da assistência obstétrica e neonatal, sendo que, seus princípios e diretrizes visam resguardar os direitos das gestantes e dos recém-nascidos. A adoção de práticas humanizadas e seguras implica a organização das rotinas, dos procedimentos e da estrutura física, bem como, a incorporação de condutas acolhedoras e não-intervencionistas (BRASIL, 2000). O conceito de humanização, nesta perspectiva, consiste tanto em resguardar a dignidade da mulher, recém-nascido e seus familiares, quanto em adotar procedimentos benéficos, sem intervenções desnecessárias e que possam expô-los a riscos (BRASIL, 2002). Diante dessa temática, os atendimentos psicológicos podem ser um caminho para compreensão dos sentimentos e as motivações das gestantes para as escolhas durante a preparação para o parto. Nesse sentido, a Abordagem Centrada na Pessoa, teoria proposta por Carl Rogers, servirá como referencial teórico e metodológico, adotando o plantão psicológico como modalidade de atendimento. Rogers, em sua obra Um jeito de ser, publicada em 1983, define os fundamentos de sua teoria, sendo ideia central, a consideração que os seres humanos possuem tendência para um desenvolvimento mais integral e complexo, denominada tendência realizadora, assim, os indivíduos são dotados de recursos para autoconhecimento que podem gerar mudanças de autoconceitos, atitudes e comportamentos. A partir de viés metodológico quali-quantitativo a investigação se caracteriza como pesquisa-ação, por considerar apropriada neste processo de humanização do parto, pois objetiva proporcionar meios para encontrar respostas mais eficientes aos problemas vivenciados, partindo do discurso das próprias gestantes, contando com a presença atuante do pesquisador.  Por visualizar estreita relação entre a humanização do parto e nascimento e a visão otimista da Psicologia Humanista, o plantão psicológico como instrumento de coleta pode favorecer um atendimento psicológico capaz de se completar em si mesmo, sem duração pré-definida, cujo objetivo consiste em receber a pessoa no momento da sua necessidade para ofertar ajuda na compreensão da sua emergência, conforme define Márcia Tassinari, em sua publicação de 2010, Plantão Psicológico como promoção de saúde. Os dados obtidos até o momento relacionam-se ao universo nocional sobre os Programas de Saúde da Família que serão percorridos, bem como, o mapeamento das estatísticas sobre o parto, no município de Cuiabá. Por se tratar de pesquisa em andamento, os resultados preliminares são considerados temporários e parciais, pois as coletas, processamentos e análises é que fornecerão dados consistentes às conclusões.

 

Palavras-chave: Abordagem centrada na pessoa. Humanização do parto. Escolha pelo parto. Psicologia humanista.