Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Padrões alimentares, indicadores de localização de gordura corporal e marcadores do risco cardiovascular: um estudo com estudantes universitários
LÍDIA PITALUGA PEREIRA, ANA PAULA MURARO, MÁRCIA GONÇALVES FERREIRA

Última alteração: 10-10-19

Resumo


O perímetro do pescoço ainda é pouco utilizado como marcador de adiposidade central em estudos populacionais. Este estudo tem como objetivo analisar a correlação do perímetro do pescoço, com marcadores antropométricos e com a pressão arterial. Trata-se de um estudo transversal com universitários adolescentes (idade entre 16 e 19 anos), ingressantes dos cursos de graduação de período integral no campus de Cuiabá da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) nos anos de 2016 a 2018. Um questionário autoaplicado foi desenvolvido e utilizado para a coleta de dados das variáveis de interesse do estudo. Realizou-se ainda a aferição de medidas antropométricas e da pressão arterial (PA). A medida do Perímetro do pescoço (PP) foi realizada em duplicata, na altura média do pescoço, ao nível da cartilagem cricotireoidea, estando o estudante em pé, utilizando-se a média das medidas como medida final. Os marcadores de adiposidade avaliados foram o índice de massa corporal (IMC), percentual de gordura (PG) a o perímetro da cintura (PC). Todos os perímetros foram aferidos com fita métrica ineslática e inextensível (Sanny) e o percentual de gordura foi obtido por bioimpedância elétrica. A PA sistólica (PAS) e diastólica (PAD) foram medidas por meio de monitor automático da marca OMRON, modelo HEM-742 INT, realizando-se três medidas com intervalos de dois a três minutos entre elas, conforme o recomendado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, sendo considerada a média das duas últimas medidas para as análises. As análises estatísticas foram estratificadas por sexo e realizadas com auxílio do software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) 17.0 para Windows (SPSS Inc., Chicago, IL, EUA). O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Júlio Muller, sob parecer nº 1.006.048.  Foram avaliados 1319 estudantes, 50,7% do sexo feminino, idade média de 18,1 (DP= 0,74 anos), 49,1% pertencentes à classe econômica B e 75% referiram morar com pais ou parentes. O PP se correlacionou com todos os marcadores antropométricos (p<0,01), sendo a maior correlação com o PC (r=0,75 para homens e mulheres), seguido pelo IMC (r=0,73 - homens e r=0,70 – mulheres), PG (r=0,69 para ambos os sexos). As menores correlações observadas foram para a pressão arterial sendo maior com a PAS (r=0,38 - homens e r=0,33 – mulheres) e menor entre a PAD (R=0,26 - homens e r=0,16 – mulheres). Entre adolescentes analisados, a maior correlação observada foi do PP com a adiposidade central, representada pelo PC. Considerando a simplicidade, baixo custo e praticidade de sua aferição, o PP pode ser uma medida adicional aos marcadores antropométricos, podendo ser utilizada para predizer desfechos relacionados à adiposidade central.


Palavras-chave


Pescoço, Adolescente, Fatores de risco.