Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A CONCEPÇÃO DE BULLYING HOMOFÓBICO NO CONTEXTO ESCOLAR: O QUE APRESENTA A LITERATURA?
Ana Flávia Bezerra Toledo Camargo, Amailson Sandro de Barros

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Este trabalho trata-se de uma pesquisa de mestrado que se encontra em desenvolvimento e tem como objetivo geral apresentar a concepção do conceito de bullying homofóbico na educação, a partir dos pressupostos do materialismo histórico-dialético e dos fundamentos teóricos da psicologia histórico-cultural. Sendo que, tem-se como uma das ideias principais a crítica a terminologia bullying. Apresentamos aqui dados parciais da revisão de literatura, tendo como pano de fundo a compreensão da homofobia no contexto escolar. A busca dos materiais sobre a temática, foi realizada nos portais de Periódicos Eletrônicos Scielo e Pepsic, além dos Periódicos da Capes com o seguinte descritor: “homofobia” “contexto escolar”. Os periódicos pesquisados relacionam-se a três áreas do conhecimento, a saber: ciências sociais, educação e psicologia. A busca dos artigos, dissertações e teses nesses portais ocorreu a partir da garimpagem manual. A partir dos resultados apresentados na revisão de literatura, após selecionarmos os materiais primeiramente pelo título, seguidos do descritor e resumo, foram encontrados vinte artigos, trinta e três dissertações e sete teses enquadrados na temática da dissertação. Percebemos que a maior parte da produção científica, ainda trata a questão do bullying como uma violência característica do contexto escolar, não estabelecendo relação com as apropriações tradicionais e culturais da humanidade e da sociedade de classes, além de desvincular este fenômeno do preconceito, como se ambos tratassem de violências distintas. Neste sentido, o bullying aparece como um modo de suavizar o preconceito ocorrido no contexto escolar, principalmente entre discentes. Enquanto que o preconceito propriamente dito, aparece como aquele disseminado na sociedade, em outros contextos: como nas ruas, no trabalho, etc. Consideramos a importância deste estudo, à medida que o contexto escolar se mostra como importante área de pesquisa, pois conforme Souza, Silva e Santos (2015) as atividades escolares promovem a apropriação de valores e objetivações da humanidade. Desse modo, no contexto escolar, que deveria ser um local que prioriza o respeito e dignidade humana, ainda aparece como um lugar em que os homossexuais precisam esconder sua sexualidade se não quiserem ser atacados com agressões físicas e verbais que negativam as diferenças entre os indivíduos. Deste modo, temos então que a concepção de bullying homofóbico, mistifica relações de preconceito dentro do contexto escolar, atribuindo às violências ocorridas neste contexto, a ideia antiquada de que são: brincadeiras entre adolescentes, que não possuem grandes impactos na saúde mental e condição humana destes. Concluímos que inseridas no universo complexo de múltiplas relações sociais, as instituições escolares assumem um duplo caráter que se configura como um contraditório relevante: o de reproduzir e distribuir conhecimentos a partir de um processo educativo fragmentado e descontextualizado, que em sua essência, contribui para a manutenção e reprodução dos interesses de uma classe dominante, cuja ordem encobre as contradições do modo de produção capitalista, e verbera com a opressão em relação aos indivíduos homossexuais, naturalizando-as. Em contrapartida, as escolas também podem se constituir em espaços potencialmente criativos, emancipatórios e de produção de conhecimentos contra-hegemônicos, que preze pela diversidade humana, na contramão da discriminação.


Palavras-chave


Contexto escolar; Preconceito; Homofobia.