Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
PREPARAÇÃO PARA O PARTO HUMANIZADO: A PSICOLOGIA E CONSTRUÇÃO DE AUTONOMIA NA GESTANTE
Melissa Grazielly BARETTA, Bruna TONDIN, Jordana NAHSAN, Fernanda CÂNDIDO-MAGALHÃES

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Trata-se de projeto de pesquisa do mestrado, realizado no Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPsi), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), realizando acercar-se do tema parto humanizado e tendo como ciência a Psicologia. Nesse sentido, a inserção da Psicologia, enquanto ciência e profissão, visa acolher as demandas das gestantes e agregar a conscientização da humanização no processo de preparação do parto e nascimento. Compreendendo o processo de humanização aproxima-se das relações de respeito entre as pessoas, esta pesquisa tem como objetivo compreender os fenômenos grupais subjetivos entre as gestantes.  A utilização rotineira das cesarianas como via de nascimento foi tema discutido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que esclarece na Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas (2015), que o parto cesariano é intervenção indicada a salvar vidas da mãe e bebê. A partir disso, a realidade quanto à prática abusiva da cesárea, especialmente no Brasil, que os números indicativos da OMS ultrapassam o que é proposto e aconselhado (15%), ocupando o 2º lugar no mundo que mais realiza tal procedimento. Nesta conjuntura, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo realizar estudo através da compreensão sobre o parto, de acordo com gestantes acolhidas em grupos de preparação para o parto, contando com a participação do Psicólogo.  O procedimento utilizado é a Pesquisa Intervenção que será empenhada na relação pesquisadora-participantes, através do exercício de interação com as grávidas que dará a compreensão da realidade social diante a temática pesquisada, partindo da ideia que todas as mulheres são fontes originais do saber. O referencial teórico e metodológico que será utilizado na pesquisa será Abordagem Centrada na Pessoa, Psicologia Humanista proposta por Carl Rogers, na década de 40. Nesse sentido, a pesquisadora Psicóloga, será a facilitadora do grupo, atuando de forma transparente, nos aspectos que envolvam a experienciação com as grávidas e com a equipe, com isso, a pesquisa buscará compreender as subjetividades oriundas da experiência da mulher e sua gestação, como estas se percebem nesse momento de gestação e preparação para o parto e nascimento do filho. Através da temática da ACP, será possível uma aproximação entre pessoas para que a expressão dos sentimentos e a significação do vivido, acredita-se que seja possível auxiliar as mulheres na construção da autonomia, diante sua noção do eu e como estas se percebem como indivíduos atuantes em busca de sua autoestima e preservação corporal, isto é, reconhecendo seus direitos para que evitem a violência obstétrica durante o trabalho de parto, consequentemente, experienciem o crescimento da promoção de saúde. De acordo com o referencial proposto, ao proporcionar esses espaços facilitadores de crescimento, mudanças significativas na personalidade das gestantes podem ocorrer possibilitando que um conjunto de novas significações. Por se tratar de pesquisa em andamento, não há resultados, mas o encaminhamento institucional para a realização dos grupos, bem como a submissão ao Comitê de Ética em Pesquisa, considerando que se trata de pesquisa com seres humanos, necessita-se resguardar eticamente os participantes da pesquisa.


Palavras-chave: Humanização do Parto. Abordagem Centrada na Pessoa. Preparação para o parto.