Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE UM ELETRODO COMPÓSITO A BASE DE GRAFITE E POLICAPROLACTONA PARA A DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE ANTI-HIPERTENSIVOS
Emilene Mendonça da Silva, Grasielli Correa de Oliveira, Ailton Jose Terezo, Marilza Castilho

Última alteração: 05-10-18

Resumo


O estudo de novos materiais com potencial aplicação no desenvolvimento de eletrodos compósitos (ECs) levou a avanços importantes na eletroanálise, devido a várias vantagens, como a possibilidade do uso dos eletrodos em meios orgânicos e inorgânicos, por apresentarem estabilidade química, física e ainda a vantagem adicional de usar materiais de baixo custo1. Neste trabalho, apresentamos um novo compósito, obtido pelo uso da policaprolactona (PCL), um polímero biodegradável e grafite. Os ECs foram confeccionados nas proporções de 20 a 80% (grafite m/m), por meio da dissolução do polímero em clorofórmio, homogeneizados manualmente com a grafite, e o compósito inserido em uma seringa tipo insulina com um fio de cobre para contato elétrico. O desempenho eletroquímico dos ECs foi avaliado usando o sinal voltamétrico de uma sonda de referência, determinando-se a área eletroativa, também verificou-se um amplo intervalo útil de potencial em diferentes soluções como eletrólito suporte e valores de pH. O teor de grafite dos ECs foi determinado por termogravimetria e a PCL caracterizada por espectroscopia no infravermelho. A aplicação analítica do EC 70% foi avaliada para a determinação simultânea de dois anti-hipetensivos, o anlodipino (ANL), usado principalmente no tratamento de hipertensão e angina2, e a hidroclorotiazida (HCTZ), um diurético tiazídico usado no tratamento da hipertensão arterial3. A voltametria de pulso diferencial foi utilizada para otimização e aplicação do EC, as condições ótimas de trabalho foram obtidas empregando como eletrólito suporte tampão Britton-Robinson (0,04 mol L-1) pH 5,0, e adotando os parâmetros de amplitude de pulso de 100 mV, incremento de varredura de 10 mV, tempo de pulso de 0,05 s, e 20 mV s-1 de velocidade de varredura. A resposta do EC comparada a de um eletrodo de carbono vítreo, apresentou maior intensidade de sinal para a determinação binária de ANL e HCTZ. A curva analítica foi obtida na faixa de concentração de 0,10 a 1,06 µmol L-1 (n = 5, r = 0,989) e 1,00 a 7,71 µmol L-1 (n = 5, r = 0,974), com limites de detecção de 0,0058 e 0,9107 µmol L-1 para ANL e HCTZ, respectivamente. Os resultados indicam a potencialidade analítica na determinação de ANL e HCTZ presente em fármacos e fluidos fisiológicos. Logo, propomos de modo inovador o uso do polímero termoplástico PCL misturado a grafite, cuja matriz demonstra propriedades atrativas para um EC, tal como baixo custo, simples construção, facilidade e rapidez de análise.


Palavras-chave


Eletrodo compósito, policaprolactona, grafite, anlodipino, hidroclorotiazida

Referências


1 TALLMAN, D. E.; PETERSEN, S. L. Electroanalysis, v. 2, 1990, p. 499.

2 SHERAZ, M. A. et al. Journal of Pharmaceutics, v. 2016, 2016, p. 1.

3 SHARMA, M. et al. Journal of Chromatographic Science, v. 52, 2014, p. 27.