Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da qualidade dos serviços da Estratégia Saúde da Família na Região de Saúde Baixada Cuiabana – Mato Grosso, 2017.
LAYS ANDRADE DE OLIVEIRA, Ruth Terezinha Kherig

Última alteração: 08-10-18

Resumo


Resumo: A instituição de um modelo de atenção comprometido com os princípios do Sistema Único de Saúde brasileiro, levou à criação da Estratégia Saúde da Família para reorientar a organização da Atenção Primária de Saúde. A avaliação das Unidades Básicas de Saúde institucionalizou-se com o Programa Nacional de Melhoria no Acesso e na Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) em 2011. Com o propósito de melhorar a qualidade e incorporar práticas avaliativas nos serviços de saúde. O PMAQ está organizado em três fases e um eixo estratégico transversal de desenvolvimento, composto pela autoavaliação. A pesquisa terá como foco somente os dados resultantes da autoavaliação, realizado pelas respectivas equipes. A escolha deste objeto de investigação justifica-se pela compreensão que o processo da autoavaliação apresenta como ponto estratégico para melhoria da qualidade da atenção à saúde, por propiciar a reflexão da organização do processo de trabalho e pela efetivação da prática avaliativa no contexto da APS. O estudo tem por objetivo avaliar a qualidade dos serviços das Unidades de ESF, a partir dos resultados da autoavaliação do PMAQ, nos municípios da Região de Saúde da Baixada Cuiabana–Mato Grosso no ano de 2017. Trata-se de uma pesquisa avaliativa de delineamento transversal com abordagem quantitativa. A pesquisa será desenvolvida nos 11 municípios da Região de Saúde Baixada Cuiabana, que configura a região do entorno da capital do estado de Mato Grosso. A fonte de informação para a pesquisa será os dados da aplicação do instrumento denominado Avaliação de Melhoria do Acesso e da Qualidade (AMAQ), utilizado para o processo da autoavaliação no PMAQ. A população do estudo compreende as UBS dos 11 municípios que aderiram ao 3° ciclo do PMAQ em 2017. Serão utilizados os dos da Parte I- Atenção Básica do instrumento AMAQ. Os dados foram obtidos por meio das autorizações da diretora do Escritório Regional de Saúde Baixada Cuiabana e dos gestores de saúde dos respectivos municípios. Os dados foram coletados pelo site e-Gestor mediante acesso online ao instrumento, já respondido pelas equipes de saúde, Para descrição e análise da pontuação atribuída às questões, trabalhou-se com médias aritméticas, tendo por base os 5 níveis de qualidade adotados pelo AMAQ. Resultado: Todas as 112 equipes de ESF realizaram a autoavaliação utilizando o AMAQ, como instrumento. No âmbito da análise gestão, gestão municipal e coordenação da Atenção Básica, de um município de grande porte se encontram prioritariamente bem avaliadas, com as médias apontando que chega a se classificar como padrão de qualidade Satisfatória 6,56 e 6, 01, respectivamente. Porém, esse resultado, quando analisado em detalhe na perspectiva dos indicadores encontrados para cada dimensão, aponta falhas na execução destas ou mesmo um desconhecimento de seu potencial no processo de qualificação da gestão da UBS. A subdimensão política municipal de educação permanente em saúde apresentou um padrão de qualidade regular (5,66). Já na analise da organização do processo de trabalho na unidade, as piores subdimensões foram à disponibilidade de recursos na unidade – Infraestrutura e equipamento – alcançando um padrão de qualidade regular (5,38).


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Avaliação de Serviços de Saúde; Qualidade da Assistência à Saúde.