Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Qualidade dos dados sobre sífilis congênita em Mato Grosso, 2014-2016
Leila Regina de Oliveira, Emerson Soares dos Santos, Francisco José Dutra Souto

Última alteração: 08-10-18

Resumo


Introdução: a sífilis congênita tem se apresentado com aumento nas taxas de incidência em todo o país, motivando a elaboração de novas estratégias para sua prevenção e eliminação. Contudo, o planejamento de ações estratégias de saúde está condicionado à qualidade dos dados epidemiológicos.  No Brasil, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan agrega os dados sobre sífilis congênita, possibilitando a vigilância desta infecção. Assim, os dados registrados no Sistema devem dispor de qualidade para permitir a ampliação do conhecimento, o monitoramento e o planejamento de ações de prevenção, controle e eliminação desta infecção. Objetivo: avaliar a qualidade dos dados sobre sífilis congênita em Mato Grosso, de 2014 a 2016, sob os atributos de qualidade da informação: incompletude e duplicidade. Métodos: estudo descritivo com dados das notificações registradas no Sinan de Mato Grosso, de 2014 a 2016. Compreendem-se incompletude dos dados como ausência de informação ou preenchimento ‘ignorado’ nos campos da notificação e, duplicidade como mais de um registro sobre o mesmo caso no Sistema durante o transcurso da infecção. A incompletude foi calculada para campos com informação sociodemográfica, antecedentes maternos, laboratoriais e radiológico, dados clínicos e evolução, e localização do caso. Calcularam-se o percentual de duplicidade após padronização dos nomes e correção de erros de digitação no banco de dados, seguido do emprego de linkage determinístico. A incompletude foi considerada, excelente com menos de 5%, bom entre 5 e 10%, regular entre 10 e 20%, ruim entre 20 e 50% e muito ruim com 50% ou mais (Romero e Cunha, 2006) e, a duplicidade aceitável até 5% (ABATH et al., 2014). Utilizaram-se os programas Excel 2010 e Stata 12.0. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa/Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso (Parecer nº 2.178.593, 19/07/2017). Resultados parciais: durante o período de estudo foram registradas 869 notificações sobre sífilis congênita no Sinan.  Nenhum registro foi considerado duplicado pelo Sinan. Após o processo de padronização, correção e linkage, 41 registros duplicados foram identificados, com maior percentual em 2015 (6,9%). A incompletude foi maior em 2016, com percentual superior a 20% e considerada ruim, exceto para os dados sobre localização do caso, considerada regular (10,8%). Considerações: Os dados selecionados para análise neste estudo apresentaram aumento na incompletude em 2016. A correção dos erros de digitação e complementação da informação, seguidos do linkage contribuíram para a identificação de registros duplicados, não identificados pelo Sinan. O monitoramento constante da qualidade dos dados é necessário, além da educação em saúde continuada aos profissionais responsáveis pela notificação de sífilis congênita em Mato Grosso, sensibilizando-os quanto ao preenchimento completo dos dados.


Palavras-chave


Sífilis congênita; Notificação de doenças; Vigilância epidemiológica

Referências


Abath MB, Lima MLLT, Lima OS, Silva MCM, Lima MLC. Avaliação da completitude, da consistência e da duplicidade de registros de violências do Sinan em Recife, Pernambuco, 2009-2012. Epidemiol Serv Saúde. 2014 jan-mar; 23(1):131-142.

Romero DE, Cunha CB. Avaliação da qualidade das variáveis socioeconômicas e demográficas dos óbitos de crianças menores de um ano registrados no Sistema de Informações sobre Mortalidade do Brasil (1996/2001). Cad Saúde Publica, Rio de Janeiro. 2006; 22(3): 673-84.