Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
EXIGÊNCIA NUTRICIONAL DE ENERGIA METABOLIZÁVEL E LISINA DIGESTÍVEL PARA CODORNAS JAPONESAS CRIADAS SOB ESTRESSE TÉRMICO
Carolina Pereira Rodrigues, Ana Paula Silva Ton, Tatiane da Silva Fonseca, Athos Vinícius Nobre Rocha, Clodoaldo Alves, Alexandra Tereza Meirelles dos Santos, Diones Vieira de Sousa

Última alteração: 16-10-18

Resumo


RESUMO

Nos últimos anos à criação de codornas para produção de carne, ovos ou reprodução  tem apresentado desenvolvimento bastante elevado. O cenário é fortemente influenciado pela exigência de pouca área para produção, baixos custos de implantação e alto valor agregado aos seus produtos, possibilitando um retorno do capital investido em curto espaço de tempo. Visando melhorias nos índices de produção de codornas japonesas em fase de postura, pesquisas são realizadas levando em consideração fatores nutricionais como níveis de inclusão da lisina digestível (LD) e energia metabolizável (EM) na ração. A determinação dos níveis adequados destes nutrientes para máxima produção de ovos de codornas japonesa é importante para embasar as tabelas de exigências nutricionais para que se possa formular rações de custo mínimo e máximo retorno econômico. Objetivou-se estimar as exigências nutricionais de energia metabolizável e lisina digestível  de codornas japonesas criadas em estresse térmico em função de seu desempenho zootécnico, qualidade interna e externa dos ovos e viabilidade econômica de produção. Foram utilizadas 780 codornas japonesas distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado, sob esquema fatorial 3x4 (níveis de EM = 2.600, 2,850 e 3.100 Kcal/kg de dieta e níveis de LD = 0,90, 1,05, 1,20, 1,35%), totalizando 12 tratamentos com 5 repetições e 13 aves por unidade experimental, em galpão experimental com temperatura ambiente média de 26ºC. O experimento perdurou 112 dias, fracionados em 4 ciclos de 28 dias cada, no qual foram realizadas as análises de desempenho e qualidade interna e externas dos ovos ao final de cada ciclo produtivo. Os dados coletados serão analisados por meio do programa estatístico SISVAR. Realizou-se análises de desempenho das aves ( peso corporal (g), consumo de ração (g/ave), conversão alimentar (g/g e Kg/dz), consumo de energia metabolizável (Kcal/dia), consumo de lisina digestível (mg/dia, massa de ovos (g/dia), porcentagem de postura (%) e procentagem de ovos viáveis para comercialização (%)) e qualidade físico-química dos ovos ( peso dos ovos (g), gravidade específica (g/cm3), porcentagem de gema, albúmen e de casca (%), pH do albúmen, colorimetria das gemas e Unidade Haugh).   Espera-se  que as avaliações sejam expressivas para estabelecer as exigências nutricionais  de EM e LD   de codornas japonesas criadas em estresse térmico.

RESUMO

Nos últimos anos à criação de codornas para produção de carne, ovos ou reprodução tem apresentado desenvolvimento bastante elevado. O cenário é fortemente influenciado pela exigência de pouca área para produção, baixos custos de implantação e alto valor agregado aos seus produtos, possibilitando um retorno do capital investido em curto espaço de tempo. Visando melhorias nos índices de produção de codornas japonesas em fase de postura, pesquisas são realizadas levando em consideração fatores nutricionais como níveis de inclusão da lisina digestível (LD) e energia metabolizável (EM) na ração. A determinação dos níveis adequados destes nutrientes para máxima produção de ovos de codornas japonesa é importante para embasar as tabelas de exigências nutricionais para que se possa formular rações de custo mínimo e máximo retorno econômico. Objetivou-se estimar as exigências nutricionais de energia metabolizável e lisina digestível de codornas japonesas criadas em estresse térmico em função de seu desempenho zootécnico, qualidade interna e externa dos ovos e viabilidade econômica de produção. Foram utilizadas 780 codornas japonesas distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado, sob esquema fatorial 3x4 (níveis de EM = 2.600, 2,850 e 3.100 Kcal/kg de dieta e níveis de LD = 0,90, 1,05, 1,20, 1,35%), totalizando 12 tratamentos com 5 repetições e 13 aves por unidade experimental, em galpão experimental com temperatura ambiente média de 26ºC. O experimento perdurou 112 dias, fracionados em 4 ciclos de 28 dias cada, no qual foram realizadas as análises de desempenho e qualidade interna e externas dos ovos ao final de cada ciclo produtivo. Os dados coletados serão analisados por meio do programa estatístico SISVAR. Realizou-se análises de desempenho das aves ( peso corporal (g), consumo de ração (g/ave), conversão alimentar (g/g e Kg/dz), consumo de energia metabolizável (Kcal/dia), consumo de lisina digestível (mg/dia, massa de ovos (g/dia), porcentagem de postura (%) e procentagem de ovos viáveis para comercialização (%)) e qualidade físico-química dos ovos ( peso dos ovos (g), gravidade específica (g/cm3), porcentagem de gema, albúmen e de casca (%), pH do albúmen, colorimetria das gemas e Unidade Haugh). Espera-se que as avaliações sejam expressivas para estabelecer as exigências nutricionais de EM e LD de codornas japonesas criadas em estresse térmico.


Palavras-chave


Coturnicultura, Coturnix coturnix japonica, desempenho, exigências nutricionais

Referências


Brandão, M. D. M. 2014. Efeito da armazenagem na qualidade de ovos, com e sem anormalidades do ápice da casca, produzidos por galinhas naturalmente infectadas por  Mycoplasma synoviae. Dissertação(M.Sc.). Universidade Federal Fluminense.

Costa, F.G.P.; Souza, H.C.; Gomes, C.A.V.; Barros, L.R.; Brandão, P.A.; Nascimento, G.A.J.; Santos, A.W.R. e Amarante Junior, V.S. 2004. Níveis de proteína bruta e energia metabolizável na produção e qualidade dos ovos de poedeiras da linhagem Lohmann Brown. Ciência e Agrotecnologia 28: 1421–1427.

Jordão Filho, J. 2008. Exigências de energia para mantença e ganho de peso para codornas japonesas. Dissertação (M.Sc) UFPB –Areia, PB 52.

 

Desempenho e qualidade do ovo de codornas japonesas alimentadas com rações contendo sorgo. Revista Brasileira de Zootecnia 39: 2697–2702.