Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ESTUDO DA COMPETÊNCIA INFORMACIONAL DOS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) UFMT.
carlos loureiro

Última alteração: 03-10-18

Resumo


ESTUDO DA COMPETÊNCIA INFORMACIONAL DOS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) UFMT.

Carlos Roberto Loureiro (Mestrando em Sociologia – PPGS/UFMT)

Francisco Xavier Freire Rodrigues (Orientador – PPGS/UFMT)

As tecnologias de informação e comunicação, comumente representadas pela internet, contribuem sobremaneira para o acesso à informação. Tem-se como condição inicial para a aprendizagem o uso da Internet, onde a interpretação e construção de significados levam a transformar em conhecimento. A construção de conhecimento consiste na busca de soluções para determinadas questões. Há de se atentar para o fato da busca da informação ante o aparato tecnológico, bem como outras fontes de informações convencionais, quantidade imensa em diversidades de conteúdo jamais visto na história da humanidade. Os estudantes do ensino a distância estão sujeitos a pesquisa para satisfazer obrigações das disciplinas ministradas no curso ou, além disso, buscando explicação dos problemas de uma questão menor ou uma maior compreensão da realidade. A educação a distância (EaD) se caracteriza como uma modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica, nos processos de ensino e aprendizagem, se efetiva com o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação, doravante, (TICs) e com a participação de professores e alunos que realizam atividades de ensino e de aprendizagem em lugares e tempos diversos. Propõe-se investigar a competência informacional dos alunos da EaD para suprir suas necessidades de pesquisas acadêmicas na construção de seus conhecimentos na graduação em espaços não presencias. Analisar os aspectos da competência para a informação do aluno de educação a distância frente a profusão de informação como sendo meios para se chegar ao conhecimento. Estudar os alunos de educação a distância como usuários das TICs num processo intensivo de busca do conhecimento. O problema de pesquisa a ser desenvolvido é: Quais as competências informacionais dos discentes do Curso de Administração Pública EaD UAB? Para essa pesquisa, depois de observações anteriores a esse momento feitas na população de alunos de EaD, objeto do presente projeto, sugere-se que o modelo adequado a essa pesquisa seja o método qualitativo indutivo. Na expectativa de colher informações no estudo sobre os fatores envolvidos na busca da informação pelos estudantes do ensino a distância e com a finalidade de averiguar uma realidade geral em relação às necessidades informacionais destes estudantes, através de alguns dados particulares coletados a partir de alguns estudantes de EaD. O universo da pesquisa se caracteriza pelos estudantes de educação a distância, do curso de administração pública, no seu último ano, oferecido pela Universidade Aberta do Brasil, UFMT. A composição do universo considerado para fins de estudo será os dados disponibilizados pelo MEC, Ministério da Educação e cultura e UAB. Para a coleta de dados, sugere-se o questionário estruturado com questões fechadas, alto aplicado, isto é, as perguntas usadas no questionário são previamente estabelecidas e enviadas via plataforma utilizadas pela UAB no curso dos estudantes a fim de que respondam o questionário utilizando da mesma plataforma. Os principais conceitos trabalhados são: (1) educação à distância, (2) sociedade da informação, (3) competência informacional, tendo como base os estudos sobre a competência informacional e da sociologia da educação.

Palavras-chave: Educação a Distância; Competência Informacional, sociologia da educação.


Palavras-chave


Educação a Distância; Competência Informacional; Educação a distância; sociologia da educação.

Referências


AUTHIER, M. A.  Construção coletiva dos conhecimetos. Revista i – Coletiva. Belem: Edufpa, NICE – Núcleo de inteligência coletiva aplicada à educação. n.11, 27 fev. 2003.

BEHR, A. et al. Especialização em bibliotecas escolares e acessibilidade: discutindo a gestão da biblioteca na modalidade EaD. Informação e informação, Londrina, v.16, n.1, p. 102-123, jan./jun.2011.

BELLONI, M. L. Educação a Distância. 5. Ed. Campinas: Autores associados. 2009. p. 104.

 

BISOL, Claudia Alquati. Ciberespaço: terceiro elemento na relação ensinante/ aprendente. In: VALENTINI, Carla Beatris; SOARES, Eliana Maria do Sacramento (Org.) Aprendizagem em ambientes virtuais: compartilhando ideias e construindo cenários. Caxias do Sul: EDUCS, 2010. p. 21-32.

 

BRASIL. Leis Decretos, etc. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://portal.mec. gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao /tecnico/legisla_tecnico_dec5622.pdf> Acesso em: 28 set. de 2010.

 

CASTELLS, M. A. A sociedade em rede. 2. Ed. São Paulo: Paz e terra, 1999.

 

---------------------- A galáxia Internet: reflexões sobre internet, negócios e sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004. p.299-300.

------------------------A galáxia Internet: reflexões sobre internet, negócios e sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004. p.319-320

 

DELORS, Jacques et all. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre educação para o século xxi. São Paulo: Cortez e Brasília: MEL/UNESCO. 1998.

 

DEMO, P. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores associados, 2011.

 

DUDZIAK, E. A. Information literacy: princípios, filosofia e prática. Ciencia da informação. Brasília, v. 32, n. 1, p. 23-35, jan./abr. 2003.

 

ESTABEL, L. B.; MORO, E. L. DA S.; SANTAROSA, L. M. C. Bibliotec ii: o bibliotecário como mediador propiciando a inclusão informacional, social, educacional e digital através da EaD. Informação e Sociedade: Estudos. João Pessoa, v. 16, n.2, p.119-121, jul./dez. 2006.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança, um reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e terra, 1997.

 

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

 

GASQUE, K. C. G. D. O papel da experiência na aprendizagem: perspectivas na busca e no uso da informação. Transinformação, Campinas, v. 20, n.2, p. 21, maio/ago. 2008.

 

 

GASQUE, K. C. G. D.; COSTA, S.M.S. Comportamento dos professores da educação básica na busca da informação para formação continuada. Ciência da informação, v.32, n.3, p.54-61, 2003. Disponível em: http://www.ibict.br/cionline/viewarticle.php?id=52&layout=html. Acesso em: 11 dez./2010.

 

GIACOMETTI, M. M. Motivação e busca da informação pelo docente-pesquisador.Ciência da informação. v.19, n.1, p.12-20, 1990.

 

KOBASHI, Nair Yumiko. Notas sobre o papel da pesquisa em cursos de graduação em ciência da informação.Transinformação, v.14, n.2, p.153-158, jul./dez., 2002.

 

KREMER, J. M. Fatores que afetam a escola de um canal de informação. Revista escola de biblioteconomia da UFMG, v.10, n.1, p.53-66, 1981.

 

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 5 ed. Porto Alegre: Sulina, 2010.

 

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: editora 34, 1993.

 

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas. 1992.

 

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 11. Ed., São Paulo: Atlas, 2013. p. 56.

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Portaria nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004.

 

 

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

 

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social. 3. ed., São Paulo: Atlas, 2011. p. 35.

 

 

TARCIA, R. M. L.,CABRAL, A. L. T. Implantação de 20% a distâcia nas instituições de ensino. In:.CARLINI, A. L.; TAECIA, R. M. L. 20% a distância e agora? São Paulo: Person Education do Brasil, 2010.  p.17.

 

 

WERTHEIN, J.; CUNHA, C. Fundamentos da nova educação.Brasilia: UNESCO, 2005.