Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da incapacidade em vítimas graves de acidentes de trânsito de uma Capital de médio porte da Região Centro Oeste: um estudo longitudinal
Kelly Cristina Teixeira Brandão de Andrade, Ligia Regina de Oliveira

Última alteração: 08-10-18

Resumo


Os acidentes de trânsito são importante causa de óbito, contudo, os eventos não fatais vêm se destacando devido às lesões que podem gerar efeitos ao longo da vida das pessoas, como incapacidades. Na busca de uma padronização para a classificação da funcionalidade e incapacidade, a Organização Mundial da Saúde elaborou a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). O objetivo deste estudo é analisar a incidência de incapacidade em vítimas graves de acidentes de trânsito internadas no Hospital Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC). Trata-se de um estudo longitudinal do tipo prospectivo com base em dados de prontuários e entrevistas realizadas durante a internação hospitalar, com reavaliação da funcionalidade após três meses. Os dados preliminares apresentados neste estudo se referem ao momento da internação, haja vista que a segunda etapa se encontra em desenvolvimento. Foram realizadas 81 entrevistas com indivíduos, residentes em Cuiabá, internados durante o mês de junho de 2018 no HPSMC em decorrência de lesões por acidente de trânsito. As vítimas apresentavam idade média de 32,4 anos, em sua maioria do sexo masculino (71,6%). Em relação à raça/cor da pele 81,5% se declararam pretos e pardos, e 49,4% dos participantes informaram ter cursado o ensino médio. Predominaram as ocorrências envolvendo motocicletas (92,6%) e metade dos acidentes esteve relacionado ao trabalho. Em relação à funcionalidade foram identificados 229 problemas relativos às funções do corpo destacando-se as funções sensoriais de dor (34,5%) e funções relacionadas à mobilidade das articulações (33,6%). Foram referidos 137 problemas de estruturas do corpo com maior frequência (73,0%) relacionada ao movimento. As limitações de atividades e restrições à participação referiram-se principalmente à mobilidade (39,9%) e cuidado pessoal (24,6%). Quanto aos fatores ambientais observou-se o maior número de fatores que facilitam a vida das vítimas (257) do que os vistos como barreiras (161). Espera-se a partir do uso da CIF identificar as deficiências e incapacidades causadas às vítimas em consequência de acidentes de trânsito, ampliando, desta forma, o conhecimento sobre esse agravo para além da mortalidade e morbidade, bem como promovendo a disseminação do uso da CIF em pesquisas epidemiológicas.


Palavras-chave


Acidentes de trânsito; Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF); estatísticas de sequelas e incapacidade.