Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
EFEITOS DA SUPLEMENTAÇÃO COM ALTO CONCENTRADO CONTENDO DIFERENTES ADITIVOS SOBRE A FERMENTAÇÃO RUMINAL DE BOVINOS DE CORTE DURANTE A ESTAÇÃO SECA
Jéssica Iakestest Matheus Brito, Letícia Carolina Bortolanza Soares, Elismar dos Anjos, Artur Carmanini de Farias, Dalton Henrique Pereira, Erick Darlisson Batista, Bruno Carneiro e Pedreira

Última alteração: 16-10-18

Resumo


Foram avaliados os efeitos da suplementação com alto concentrado contendo diferentes aditivos sobre a concentração de nitrogênio amoniacal ruminal (NAR) e pH ruminal em machos Nelore em pastejo, durante a estação seca. Quatro machos não castrados da raça Nelore (425 ± 79,3 kg de peso corporal, PC), com cânula ruminal, foram estudados em delineamento quadrado latino balanceado 4 × 4. Os animais foram distribuídos em piquetes de 0,2 ha de Brachiaria brizantha cv. BRS Piatã onde receberam suplementação proteico-energética ad libitum diariamente (160 g kg-1 de proteína bruta). Os tratamentos incluíram os aditivos: 1) virginiamicina a 70 mg kg-1 matéria seca (MS); 2) ADV: Advantage 4.1 (Alltech) a 1,25 g kg-1 MS, um aditivo à base de levedura como substituto da virginiamicina; 3) TAN14: ByPro® (Silvateam Brasil) a 1,4 g kg-1 MS, um extrato de tanino condensado em substituição à virginiamicina; e 4) TAN21: ByPro® a 2,1 g kg-1 MS como substituto da virginiamicina. Todos os suplementos continham salinomicina a 2,5 mg kg-1. Os períodos experimentais duraram 20 dias. No dia 19, o líquido ruminal foi coletado dos animais às 8h00, 12h00, 16h00 e 20h00 horas (0, 4, 8 e 12 horas após a suplementação, respectivamente). As análises estatísticas foram realizadas utilizando medidas repetidas. A ingestão média diária de suplementação foi de 16,7 ± 1,19 g kg-1 PC. A interação tratamento × tempo para NAR e pH não foi observada (P> 0,41). No entanto, houve um efeito de tempo de amostragem para ambas as medidas (P <0,001), mas de maneira oposta. Os menores valores de NAR (P <0,01) foram observados antes da suplementação (7,61 mg dL-1 vs. 14,4, 15,1 e 13,0 mg dL-1, para 4, 8 e 12 horas após a suplementação, respectivamente), enquanto o pH foi menor 12 horas após suplementação (6,04 vs. 6,45, 6,50 e 6,35 para 0, 4 e 8 horas após a suplementação, respectivamente). Os tratamentos não afetaram a concentração de NAR e o pH (P> 0,17), com média de 12,51 mg dL--1 e 6,34, respectivamente. Os valores médios da concentração de NAR foram 11,9 mg dL-1 para VIR, 15,6 mg dL-1 para ADV, 13,2 mg dL-1 para TAN14 e 9,3 mg dL-1 para TAN21. Em conclusão, a substituição da virginiamicina pelos aditivos Advantage 4.1 e ByPro não alterou as concentrações de NAR e o pH ruminal em bovinos recebendo suplementação com alto concentrado durante a estação seca.


Palavras-chave


nitrogênio amoniacal ruminal; taninos; virginiamicina; leveduras.