Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Acidentes de trabalho em Mato Grosso e a sua relação com o agronegócio
Nara Regina Fava, Wanderlei Antonio Pignati

Última alteração: 08-10-18

Resumo


As discussões acerca da saúde do trabalhador se intensificaram a partir da Revolução Industrial, devido a modernização e ao surgimento de novos processos de trabalho, e consequentemente, aumentando os acidentes e doenças ocupacionais. Neste contexto, o agronegócio surgiu impulsionado pela Revolução Verde, na década de 60, com a proposta de ampliar a produção agrícola, aumentando a oferta de alimentos e produtos agrícolas para abastecimento, a partir de um modelo de produção baseado nos monocultivos, insumos químicos e maquinários agrícolas e, mais recentemente, na transgenia. Esse processo produtivo se inicia com o desmatamento com a derrubada das árvores nativas da região e exploração florestal para industrialização da madeira. Em seguida, o processo de preparo do solo com a agricultura e a pecuária utilizando os maquinários agrícolas, os insumos (sementes, herbicidas, fertilizante químico, calcário, entre outros), para o cultivo da lavoura, criação de gado e o reflorestamento. Logo após, são realizados o transporte e o armazenamento dos produtos agropecuários e florestais. E finalmente o processo da industrialização, em unidades de processamento de cereais, frigoríficos, usinas sucroalcooleiras e de biocombustíveis a base de milho e soja, indústrias de alimentos, beneficiadoras de algodão e couro, dentre outros. Esses processos da cadeia produtiva do agronegócio, provocam a transformação da natureza através do processo de trabalho, ocasionando diversas situações de riscos à saúde-ambiente, como a ocorrência de acidentes de trabalho e outros agravos à saúde dos trabalhadores e danos ao ambiente, por conseguinte, 70% dos acidentes de trabalho estão relacionados ao agronegócio. Entretanto os serviços de assistência, vigilância e promoção de saúde para os trabalhadores são ainda incipientes em nosso país e estado. Objetiva-se analisar a relação da cadeia produtiva do agronegócio nos acidentes de trabalho no Brasil e no estado de Mato Grosso no período de 2007 a 2016. O percurso metodológico terá por embasamento o materialismo histórico e dialético para abordar as relações de poder entre empregado e empregador, trata-se de um estudo epidemiológico do tipo ecológico, com abordagem qualitativa e quantitativa, a análise estatística terá por base testes de correlação e tendências temporais, a população do estudo será compreendida pelos trabalhadores do país e do estado de Mato Grosso. Pretende-se, contribuir para a atualização da série histórica de indicadores da Matriz de Produção Agropecuária e de Agravos à Saúde dos Trabalhadores do estado de Mato Grosso, numa série temporal de 10 anos. Como resultados esperados pretende-se reiterar a correlação dos acidentes de trabalho com a produção do agronegócio, já apontada por outros estudos, quanto maior a produção nos municípios do agronegócio, maior a incidência dos acidentes de trabalho e contribuir nas discussões de Vigilância em Saúde do Trabalhador.


Palavras-chave


Acidente de Trabalho; Agronegócio; Vigilância em Saúde do Trabalhador

Referências


Araujo GM (Org.) Fundamentos para realização de perícias trabalhistas, acidentárias e ambientais. GVC. Rio de Janeiro, 2008.

Carneiro, F.F (Org.) Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde / Organização de F.F. Carneiro, L.G.S. Augusto R.M. Rigotto, Friedrich e A.C.  Búrigo. RJ: EPSV/FioCruz/Expressão Popular, 2015. 624.

Goelzer BIF. Reconhecimento, avaliação, prevenção e controle de riscos ocupacionais. [internet]. 2016 [Acesso em: 23 de maio de 2018] Disponível em: http://www.saude.ufpr.br/portal/medtrab/wp-content/uploads/sites/25/2016/08/HO-por-Berenice-Goelzer.pdf

Machado LOR. Desflorestamento na Amazônia Brasileira: ação coletiva, governança e governabilidade em área de fronteira. Sociedade e Estado, Brasília, p. 115-147, jan./abr. 2009.

Mendonça ML. O Papel da Agricultura nas Relações Internacionais e a Construção do Conceito de Agronegócio. Contexto Internacional Rio de Janeiro, maio/agosto 2015, p. 375-402.

 

Pignati WA, Souza-Lima FAN, Lara SS, Correa MLM, Barbosa JR, Leão LHC, Pignatti MG. Distribuição espacial do uso de agrotóxicos no Brasil: uma ferramenta para a Vigilância em Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 2017. p. 3281- 3293.

 

Pignati, WA. Os riscos, agravos e vigilância em saúde no espaço de desenvolvimento do agronegócio no Mato Grosso. [Tese]. Rio de Janeiro: Fiocruz/Ensp: 2007. 114 p.