Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação de eficiência de organofosforado em populações de Anthonomus grandis (Coleoptera:curculionidae) provenientes de Jaciara-MT.
Sharrine Omari Domingues de Oliveira Marra, Raul Narciso guedes, Anderson Moura Zanine

Última alteração: 18-10-18

Resumo


O bicudo-do-algodoeiro (Anthonomus grandis Boheman) é uma das pragas de maior potencial de danos a cotonicultura, atacando as inflorescências, brotos e maçãs. Os danos são diretos e as injúrias causadas por esta praga decorrem da utilização das estruturas florais e frutíferas do algodoeiro para a oviposição dos adultos e alimentação tanto das larvas como dos adultos. ). O controle emergencial e preventivo é realizado com produtos químicos, especialmente por organofosforado. Com isso, é possível ocorrer a evolução de populações resistentes aos inseticidas com os mesmos princípio ativo. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência e o tempo letal do inseticida Malathion (organofosforado), em três populações coletadas no Município de Jaciara-MT. As estruturas reprodutivas do algodoeiro com indicativo de oviposição foram coletadas área comercial, na localidade de Jaciara-MT ('15º51'38.002"S 55º17'21.998"W, '15º49'22.998"S 55º12'50.004"W), em Abril de 2017. A metodologia utilizada foi a de resíduo seco de inseticida impregnado em vidro (i.e., bioensaio de contato), contendo 1 mL da solução. O inseticida utilizado foi utilizado um beta-ciflutrina na dose máxima de campo (2 L /100 L.ha-1). O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado, com três repetições com 20 insetos cada para cada população, sendo cada repetição constituída por uma placa de Petri de vidro transparente (15x90 mm), cujas paredes internas foram revestidas com inseticidas aplicados utilizando água destilada como solvente e esperando secagem natural. A parte superior da placa de Petri foi pincelada com talco inodoro, evitando o escape dos indivíduos. Um tratamento controle, sem uso de inseticidas (apenas água destilada), foi utilizado para a avaliação da mortalidade natural. Os indivíduos foram avaliados por 24 horas e os dados de mortalidade total, ao final do período de exposição, constituem-se medidas diretas de eficácia (% eficiência de controle), e foram, então, revertidos a estimativa de risco de falha de controle (Unterstenhöfer et al. 1976, ffrench-Constant & Roush 1990, Robertson & Preisler 1992). Os resultados obtidos foram comparados estatisticamente pelo teste não-paramétrico de Wilcoxon (Z), utilizando o Programa SAS (SAS Institute 1999-2001). O tempo letal e a curva de sobrevivência foram estimadas pelo estimador não-paramétrico Kaplan–Meier. O inseticida Bulldock apresentou elevada eficiência, com 100% de mortalidade dos indivíduos testados (Teste Wilcoxon, (p <0,0001)) e a estimativa de risco de falha de controle foi <0, o que indica 0% de risco de falha de controle, em ambas populações. Não houve diferença estatística entre os tempos letais médios (p<0,001), sendo de 7,98±0,4014 minutos (Jaciara 1), 7,98± 0,3162 minutos (Jaciara 2) e 7,98±0,426 minutos (Jaciara 3). Dessa forma, não há indicativo de desenvolvimento de populações resistentes nesta localidade, apesar do uso intensivo de organofosforado na região.


Palavras-chave


Controle químico; inseticida; toxicologia.