Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Um novo sistema de exigência de proteína para vacas leiteiras em lactação
Henrique Melo Silva

Última alteração: 16-10-18

Resumo


Existe uma demanda crescente por proteína animal no mundo, e os recursos naturais estão cada vez mais escassos. O fornecimento excessivo de nitrogênio (N) causa sua maior excreção nas fezes e urina, levando lixiviação de nitratos que podem contribuir para eutrofização do lençol freático e a produção de oxido nitroso, assim, prejudicar a saúde de animais e humanos. Por isso há necessidade de melhorar a eficiência de utilização dos nutrientes. Nossa hipótese é que a exigência de proteína metabolizável (PM) para mantença e lactação quantificados a partir da meta-análise de experimentos de balanço de nitrogênio, melhora o refinamento da recomendação de PM para vacas leiteiras em lactação. Objetivou-se desenvolver um novo sistema de exigência de PM para mantença e lactação, e suas eficiências de utilização. Uma revisão sistemática de peer-review papers foi feita nos seguintes bancos de dados: Web of Science e Science Direct. Utilizou-se os seguintes termos “Nitrogen” e “Dairy cows”, e após a seleção restaram 260 publicações, divididas em dois subconjuntos. O primeiro subconjunto (212 peer review papes com 221 estudos e 856 médias de tratamentos) utilizado para a construção do modelo e o segundo subconjunto para sua avaliação (48 peer review papes com 48 estudos e 182 médias de tratamentos). A exigência de PM total é dividida em mantença e lactação. Para estimar a exigência de PM para mantença foi feita uma meta-regressão entre a relação de excreção fecal + urinária de N (NFU; g N / kg Peso corporal (PC)0,75 ) e consumo de N (g N / kg PC0,75) a partir dos ensaios de balanço de N. Estimou-se também a eficiência de conversão da PM para proteína liquida de mantença (EPMM) e a eficiência de uso da PM para lactação (EPML ). Foi utilizado um banco de dados independente para avaliação do modelo construído em relação aos modelos atuais (AFRC, 1993; The Dutch System, 1994; NRC, 2001; FIM, 2004; CSIRO, 2007; INRA, 2007 e CNCPS 6.0).  A avaliação foi feita por meio da regressão linear simples entre os valores preditos e observados, raiz quadrada do quadrado médio do erro de predição e seu intervalo de confiança, coeficiente de concordância e sua decomposição. O banco de dados apresentou uma grande amplitude de dados PC (média = 616 ± 66.9 kg), Produção de leite (média= 30.8 ± 8.4 kg), Forragem na dieta (média = 53,9 ± 9.15 %) e consumo de N (média= 550 ± 134 g). A exigência PM para mantença (6.70 ± 0.17 g proteína/kg PC0.75) e EPMM (0.8268 + sistema alimentação (confinado = 0, pasto = -0.04418) + dias em lactação (<100 = 0, ≥100 = 0.1286). A EPML (Bos taurus =0.7153 ou Bos taurus × Bos indicus = 0.5553) foi superior para vacas taurinas. Na avalição o modelo proposto; NRC, 2001; FIM, 2004 e CNCPS 6.0 foram os que melhor se adequaram para estimar a exigências de PM total.


Palavras-chave


Nutrição animal, eficiência de utilização, proteína metabolizável