Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Este mundo que vereis: vídeos "em alta" no YouTube
Amanda Massoli Garcia

Última alteração: 16-10-18

Resumo


O presente resumo tem como objetivo fazer um breve relato da construção do projeto de pesquisa da autora para o mestrado em Psicologia. Pensando nas novas demandas psicológicas dos sujeitos que, vivendo num mundo altamente tecnológico e fluído, se vêem em busca de modelos para a construção de suas noções de si, suas subjetividades, surgem questões relacionadas às maneiras como as pessoas são constituídas dentro do novo modelo de sociedade midiática. O acesso à internet é uma condição atual que torna esse fenômeno tão intenso. A fim de refletir sobre essas novas dinâmicas de constituição das subjetividades, foi escolhido um segmento de mídia específico, de expressiva projeção: o YouTube. O YouTube é uma rede social de compartilhamento de vídeos online, sendo hoje o segundo site mais acessado no Brasil e no mundo, com cerca de 1,5 bilhão de usuários logados por mês. Mas, apesar de tamanha projeção, poucas pesquisas foram desenvolvidas a partir da psicologia e, especificamente, a psicanálise sobre o tema. Neste sentido, vale ressaltar, a partir de alguns dados fornecidos pelo YouTube, que seus usuários são predominantemente pessoas com idade supostamente (pois o cadastro é feito por autodeclaração) entre 18 e 49 anos, sendo que o portal informa ainda que os conteúdos mais acessados e os canais com maior número de inscritos na plataforma são voltados ao público infantil/adolescente. Baseado nestes dados a pesquisa, aqui resumida, busca entender a função do YouTube na constituição da subjetividade de seus usuários. Para isso faremos uso de conceitos da matriz psicanalítica, especialmente identificação e projeção, passando por uma análise dos conteúdos dos vídeos mais vistos na plataforma. Assim, se quer entender quais modelos de subjetividade discursiva estão sendo consumidos pelos usuários do portal. Em nosso entendimento, os resultados dessa pesquisa contribuirão para o campo de investigação da psicologia em relação aos objetos audiovisuais disponibilizados publicamente.


Palavras-chave


YouTube, psicanálise, projeção, transferência, subjetividades