Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Grupo Dispositivo como Estratégia de Acolhimento no Atendimento Clínico a Estudantes Universitários em um Serviço-Escola de Psicologia
Thaisa Soares Silva, Henrique de Oliveira Lee

Última alteração: 22-10-18

Resumo


Neste trabalho será apresentado o projeto de pesquisa ora intitulado Grupo Dispositivo como Estratégia de Acolhimento no Atendimento Clínico a Estudantes Universitários em um Serviço-Escola de Psicologia. Este projeto se constitui a partir de experiências na escuta clínica a estudantes universitários atendidos no âmbito do Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade Federal de Mato Grosso campus Cuiabá por ocasião de um estágio específico e, posteriormente, em atividade de extensão, no contexto de um curso de aperfeiçoamento profissional na mesma instituição. Estas escutas nos sugeriram que o grupo dispositivo pode se estabelecer como uma estratégia de acolhimento às demandas da referida população, o que nos coloca como questão: articulando a clínica psicanalítica às demandas da instituição, quais os efeitos da escuta em dispositivo grupal, e em que medida as concepções sobre o acolhimento podem ser ampliadas? Portanto, nossos objetivos serão investigar os efeitos do grupo dispositivo como estratégia de acolhimento no atendimento clínico a estudantes universitários. Assume-se o conceito de Instituição compreendido como conjunto de práticas legitimadas por sua repetição. Subsidiando a perspectiva do acolhimento que elegemos, que apontam o princípio básico para o funcionamento do grupo de acolhimento em uma perspectiva psicanalítica. Para as autoras, o ato de dar lugar à palavra do sujeito, para que este fale de seu sofrimento, o reconheça, o sinta legitimado e seja efetivamente acolhido, constitui-se em uma primeira intervenção terapêutica. Um lugar para a palavra, redes tecidas para oferecer um lugar ao antes não-dito é o que nos convida a aproximar o grupo à noção de dispositivo. O grupo, deste modo, pode ser tomado como um instrumento técnico, bem como uma forma de estabelecer socializações, implicando uma certa maneira de escutar e notar como a produção discursiva do sujeito se insere num contexto social que é o grupo. A pesquisa será empreendida a partir de referencial teórico psicanalítico em uma abordagem clínico-qualitativa de pesquisa  e será caracterizada como uma Pesquisa Intervenção. Para realizá-la, a coleta de dados se dará pela composição de grupos de acolhimento, em articulação com o projeto de extensão Tecendo Redes para Acolher, no âmbito do Serviço de Psicologia Aplicada da UFMT/Cuiabá e de institutos e faculades da mesma instituição na escuta de discentes destas unidades. A análise dos dados será prioritariamente qualitativa, buscando debater características e alcances do dispositivo grupo de acolhimento, mediante a noção de construção do caso clínico. As escutas em grupo já empreendidas nos coloca, aqui, como tônica a perspectiva do acolhimento a estudantes universitários na interface entre sujeito e instituição; e da investigação sobre os efeitos da escuta diante de outra classe de fenômenos que não apenas as já arroladas comparações entre as modalidades clínicas individuais e grupais.


Palavras-chave


Grupo; acolhimento; universitários