Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VII Semana Acadêmica da Faculdade de Educação Física e X Seminário de Socialização de Práticas de Estágio

Tamanho da fonte: 
KPOP: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA COM A DANÇA COREANA
Amanda Faria Corrêa da Silva

Última alteração: 29-07-19

Resumo


Construindo caminhos por uma prática pedagógica apoiada no currículo cultural da Educação Física e sob a influência da teoria curricular multicultural (SILVA, 1999). Nessa perspectiva apresentamos o relato de uma proposta de intervenção teve por objetivo o estudo e vivência das danças urbanas contemporâneas que pertencem a ancoragem social dos discentes, isto é, danças que os alunos veem na sociedade e cultuam. A elaboração foi ancorada no planejamento participativo com os alunos e realizada no primeiro bimestre de 2019 com a sequência pedagógica “Dança e Diversidade” e desenvolvida em quatro encontros de duas aulas conjugadas com as turmas do oitavo e nono ano do ensino fundamental II numa escola da rede pública do ensino estadual de Cuiabá. Sua partida foi à fala dos alunos, e o mapeamento no ambiente escolar e comunidade selecionando o tema – K-POP. A partir da fala dos alunos e do mapeamento no ambiente escolar e na comunidade selecionamos tematizar o K-POP. Iniciando com uma discussão e a indagação aos discentes sobre seus conhecimentos do tema e os meios de acesso a esse, sendo o mais mencionado a plataforma de vídeos YOU TUBE, destacaram que o estilo envolve coreografias que misturam street dance, stiletto, pop, balada, eletrônico e hip-hop. Em seguida, foram formados grupos de estudo, solicitando uma investigação via celulares, a respeito da origem do estilo musical, dos princípios básicos e estratégias para a dança, da causa da grande popularidade do gênero musical, do fator aparência na escolha dos membros dos grupos de K-POP e da separação dos gêneros. Cada grupo ficou responsável por um assunto que foi exposto em sala e para ampliar a discussão foi exibido um vídeo que documenta a origem do K-POP e destaca a influência do que esse recebeu do Pop americano, e a característica dos grupos musicais desse gênero ser geralmente compostos exclusivamente de meninos ou de meninas. Foi apontado a questão da separação de gêneros e promovido um debate aventando considerações para esse contexto e acrescentando a possibilidade de novas construções sociais que unissem os gêneros. Houve o destaque que a Coréia do Sul é um país conservador que não dá muita abertura as mulheres, mas que os grupos femininos de K-POP estão mudando esse cenário. Outro aspecto destacado foi à preocupação desses grupos com valores estéticos que privilegiam a “boa aparência”, que em algumas ocasiões, essa estar em detrimento do talento do artista. Por fim, foram organizadas vivências da dança, um grupo de alunos realizou uma demonstração sobressaindo às contribuições consoantes a essa dança, fomentou e orientou a participação do restante dos alunos procuram acompanhar o ritmo e passos apresentados. Também foram utilizados videoclipes, tutoriais para aprendizagem e videogame “just dance”. Concluindo, foi realizada a avaliação da atividade examinando a participação dos alunos, a importância da integração entre meninos e meninas e o estabelecimento das relações entre as práticas corporais e os valores sociais e culturais. A experiência didático-pedagógica oportunizou aos alunos a leitura (análise) dessa manifestação (K-POP), bem como a reelaboração e vivência prática da mesma. Em direção a um aprofundamento de conhecimentos das práticas corporais produto dos diversos grupos sociais.