Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VII Semana Acadêmica da Faculdade de Educação Física e X Seminário de Socialização de Práticas de Estágio

Tamanho da fonte: 
APLICAÇÃO DE JOGOS PARA CEGOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESCOLA ESTADUAL ANDRÉ AVELINO
Carla Danielly dos Santos Nascimento, Yasmin Kris Souza Silva

Última alteração: 12-08-19

Resumo


Carla Danielly dos Santos Nascimento (PIBID/UFMT - FEF) – carladanielly95@gmail.com
Yasmin Kris Souza Silva (PIBID/UFMT - FEF) – yasminkrissouza@gmail.com


Resumo: O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID), do curso de Educação Física – UFMT/CUIABÁ tem por objetivo inserir o acadêmico no contexto escolar para que se desenvolvam atividades didáticas pedagógicas desde o inicio de sua formação acadêmica. Durante o ano de 2017, o programa atuou em uma Escola Estadual com alunos do 2° e 3° anos do ensino médio iniciando com observação de aula e posteriormente desenvolvendo atividades em colaboração com professor supervisor envolvendo as seguintes modalidades: futsal, basquete, vôlei e handebol. Além destes temas assuntos sobre esportes adaptados, o qual é o tema que iremos relatar a experiência com o futebol para cegos. Para realização do esporte confeccionamos as vendas com EVA e TNT e para certificar que o aluno não enxergaria nada colocamos algodão tapando os olhos antes de vendar funcionando como protetor ocular e trouxemos as bolas com guizo da UFMT. No dia da aplicação da aula na primeira semana dividimos a turma em duplas sendo um guia e um vendado, em seguida foi realizado o reconhecimento de espaço em que eles iriam andar pela escola vendada cada um com seu guia para vivência com a venda, alguns foram para a cantina, banheiro, bebedouro e inverteram duplas para que ambos tivessem vivencia de como ser o guia e como estar vendado, já que é importante que o guia saiba guiar a pessoa vendada para que não aconteça nenhum incidente durante o reconhecimento. Na segunda semana de vivência, levamos as bolas de futsal com guizos dentro e vendados como no primeiro dia, realizamos exercícios simples como conduzir a bola devagar, trocar passes. Em um círculo, com todos integrantes vendados, colocamos duas bolas para que pudessem trocar passes apenas utilizando a audição para localizar quando a bola rolava na direção deles. Na terceira semana realizamos o jogo na quadra de futsal para cegos com os alunos vendados e a bola com guizos, mas não utilizamos todas as regras do jogo por ser o primeiro contato dos alunos com o jogo propriamente dito e como esperado os alunos tiveram dificuldade em progredir para realizar o gol. A maior dificuldade encontrada foi à falta de atenção e localização dos alunos para com a bola. Podemos concluir que a partir do subprojeto pudemos vivenciar como se constitui o ambiente escolar, tivemos melhor noção de como abordar ou trabalhar um esporte adaptado com crianças ou adolescentes na escola, proporcionando experiências que nos será de muita importância para o seguimento de nossa jornada pela educação.


Palavras chave: Esportes adaptados, futebol para cegos, PIBID, vivenciar.