Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VII Semana Acadêmica da Faculdade de Educação Física e X Seminário de Socialização de Práticas de Estágio

Tamanho da fonte: 
JOGOS COGNITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA
Ana Carrilho Romero Grunennvaldt, Wanessa de Oliveira Rezende, Darlyn Pinto Porto, Guilherme Bruno Pires Barros

Última alteração: 12-08-19

Resumo


Esse trabalho foi realizado pelos alunos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) em uma escola estadual de Cuiabá, teve apoio da professora supervisora do programa na escola. A intervenção utilizou jogos de tabuleiro e de estratégia como método de trabalhar o aspecto cognitivo, a interação entre os alunos e a utilização de uma prática que não é voltada ao âmbito esportivo. Os jogos e suas diversas variações, em especial os jogos de estratégia e os de tabuleiros, servem como um recurso didático-pedagógico de grande eficácia para que o professor trabalhe com os alunos, assim contribuindo para o aprendizado e construção de novos saberes dos alunos. O objetivo foi proporcionar o conhecimento básico dos jogos de tabuleiro, trabalhar a cognição e interação social dos alunos, além de, uma possibilidade a mais de prática para os alunos que não participavam das aulas práticas de Educação Física. Como método inicialmente foi feita uma pesquisa em sala com os alunos para saber o nível de conhecimento deles em relação aos jogos para que fosse possível identificar suas dificuldades e facilidades para dar início ao conteúdo. Após a pesquisa, foi passado um texto com as regras do pife, bozó, dama e dominó para que os alunos copiassem e tivessem as regras sempre a mão quando esquecessem, em seguida foram divididos pequenos grupos onde foram entregues os jogos. Conforme os alunos iam jogando e surgindo as dúvidas os bolsistas, junto com a professora iam auxiliando-os. Nas duas aulas seguintes, os alunos já conseguiam jogar e pensar algumas jogadas, foi feito uma pequena eliminação nas salas onde o vencedor de cada modalidade iria representar a turma no torneio da escola. O feedback recebido pelos alunos em relação as práticas dos jogos de tabuleiro e estratégia foram extremamente positivas, pois houve uma interação das turmas, onde um colega ajudava o outro e ambos desejavam representar sua sala da melhor maneira. Os alunos foram descobrindo suas habilidades e afinidades, tornando o clima de aprendizagem mais descontraído e no dia da competição um ambiente mais sério, onde toda jogada era calculada mais que o normal (trabalhando a questão da seriedade e responsabilidade pela jogada escolhida) levando os alunos a pensar mais sobre sua ação. Tendo em vista que a educação física é uma área que atua tanto no físico como no cognitivo, foi mostrado nesse projeto que trabalhar aspectos que orbitam os jogos de tabuleiro é importante para os alunos, tanto na questão de raciocínio lógico, estratégia, paciência e concentração como também em transformar a escola em um ambiente que oportuniza vivências que os aluno não tiveram contato durante sua vida. O fomento dessas atividades no ambiente escolar é de suma importância, pois ela vai de encontro com a pluralidade de atividades (fugindo das convencionais) e possibilitando que alunos com baixa afinidade em atividades físicas (esportes e jogos) tenham uma afinidade maior nos jogos cognitivos e estratégicos.
Palavras-chave: jogos cognitivos, jogos de tabuleiro, Educação Física Escolar