Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VII Semana Acadêmica da Faculdade de Educação Física e X Seminário de Socialização de Práticas de Estágio

Tamanho da fonte: 
AS INF NCIAS DO BRASIL: CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Juliana Carol Eckert Caetano, Cleuber Cristiano Sousa Júnior, Larissa Arruda Penze Duarte, Karolini Carvalho Ramires, Beleni Saléte Grando

Última alteração: 13-08-19

Resumo


Trazemos um recorte dos estudos realizados na disciplina Prática Curricular da Educação Infantil a fim de explicitar o processo histórico do conceito de infância e de criança no Brasil e apontar as potencialidades do professor de Educação Física para o desenvolvimento pelo brincar na Educação Infantil. Foram analisados para este estudo: a História da Infância no Brasil; o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil; o Território do Brincar. O estudo pautou-se na análise de vídeos sobre a história da infância no Brasil e direito da criança, sobre o brincar em todo território nacional e sobre os documentos disponíveis no site do MEC para Educação Infantil – Creche (0 a 3) e Pré-Escola (4 a 6). Podemos afirmar que a infância é um conceito recente na história do Brasil e cuja concepção vem sofrendo alterações desde o período colonial. A criança já foi considerada um adulto em miniatura e também um estorvo para a sociedade urbana, sendo marginalizada e retirada do convívio social para exploração do trabalho em nome da ordem pública. Essa dessensibilização em torno das suas demandas específicas de cuidado ou mesmo de educação chega aos dias atuais no caso de algumas crianças condicionadas ao abandono do Estado. A escola surge com a Família Real no Brasil para preparar meninos e meninas na representação da família da elite. A escola da criança filha de trabalhadores é criada por imigrantes anarquistas que chegam com a industrialização, chocados com o abandono dos filhos dos trabalhadores pelo estado e a sua marginalização nas cidades. Em 1891 é criada a primeira lei que visa coibir os abusos contra as crianças no Brasil; em 1996 é sancionada a primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação que reconhece como obrigação do estado a educação das crianças pequenas na Educação Infantil organizada em creches  e pré escolas. São três os pilares da Educação Infantil: o educar, o cuidar e o brincar. O brincar indissociável dos demais, expõe sua relevância para o desenvolvimento nas dimensões afetivas, orgânicas e biológicas, sociais e cognitivas, considerando cada criança única. Com isso, reconhecemos a Educação Física como fundamental para o desenvolvimento humano ao considerar o brincar e o movimento como potencializadores de criação e produção cultural identitária de crianças nos mais diversos contextos socioculturais, capaz de promover projetos pedagógicos interdisciplinares e interculturais a fim de o brincar ser assumido como centralidade de todos os processos de aprendizagens. Ao privilegiar a complexa relação do brincar com o cuidar e o educar, fortalece-se o papel social e afetivo da educação ao mesmo tempo em que compromete a Educação Física ao estudo do desenvolvimento para além da perspectiva motora, como produção da cultura lúdica e aprendizagens na infância.