Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
De olho no futuro 2017: Uma visão geral
Thiago Vargas Silva Costa, Frederico Vieira Mota, Willian Renato Neves Nardelii, Mario Mateus Sugizaki, Douglas Yanai, Fabíola Cieslak Roque, Aline Morandi Alessio

Última alteração: 04-10-17

Resumo


O ingresso na escola é marcado pelo desenvolvimento de atividades intelectuais e sociais, influenciadas pelas capacidades psicomotoras e visuais. A integridade da visão é indispensável para o aprendizado. O diagnóstico precoce e tratamento da baixa acuidade visual são imprescindíveis nesse período e irá refletir no futuro da criança. Os objetivos do projeto “De Olho no Futuro” foram realizar a triagem nos alunos do primeiro ano do ensino fundamental nas escolas públicas de Sinop-MT, oferecer atendimento oftalmológico adequado e quando necessário a doação dos óculos. Este projeto de extensão da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), câmpus de Sinop foi desenvolvido em cooperação com o Hospital Dois Pinheiros, Casa da Amizade, Secretaria de Educação e Saúde do município. A triagem foi realizada em alunos do primeiro ano do ensino fundamental das escolas públicas de Sinop. As crianças que apresentaram baixa acuidade visual ou que faltaram no dia da triagem foram encaminhados para o dia do mutirão. No mutirão, as crianças foram retriadas e quando necessário encaminhadas para consulta oftalmológica. Também, para as crianças e os pais/responsáveis foram oferecidos lanches, recreação, orientações na área de odontologia, triagem da acuidade visual, avaliação do índice de massa corporal, pressão arterial, glicemia e serviço de enfermagem para avaliação ou encaminhamento. Participaram da triagem nas escolas aproximadamente 100 graduandos supervisionados por 18 professores da UFMT, dos cursos de Medicina, Enfermagem e Farmácia. Das 1946 crianças matriculadas no primeiro ano das 25 escolas municipais e estaduais, 1639 (84,22%) foram triadas. Portanto, 307 crianças (15,8%) foram encaminhadas para triagem no dia do mutirão por não estarem presentes na avaliação realizada nas escolas. E, 367 crianças (22,4%) foram encaminhadas por apresentarem baixa acuidade visual. As consultas oftalmológicas foram feitas por 2 docentes da UFMT e 2 oftalmologistas voluntários do projeto. A retriagem foi realizada em 220 alunos (59,9%) e 121 (55%) foram encaminhados para consulta oftalmológica. Após a consulta oftalmológica foi indicado o uso de óculos para 73 crianças (60,3%). Apesar do projeto ter oferecido o serviço de detecção e tratamento da baixa acuidade visual para todos os alunos do primeiro ano do ensino fundamental das escolas públicas de Sinop, muitas crianças não compareceram no dia do evento e consequentemente não foram beneficiadas. Porém, as crianças que receberam os óculos terão uma mudança significativa na vida escolar e familiar, com uma perspectiva de um futuro melhor.



Palavras-chave


Acuidade visual; consulta oftalmológica, escolares.