Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
DIVERSIDADE DE FORMIGAS EM UM FRAGMENTO DE VEGETAÇÃO NATIVA, SINOP – MT
Murilo Campos Pereira, Onice Teresinha Dall'Oglio, Juliane Dambros, Andreia Alves Botin

Última alteração: 05-10-17

Resumo


As formigas são insetos da família Formicidae, pertencentes à ordem Hymenoptera e constituem um grupo muito comum e difundido em todo o ambiente terrestre. Estimativas sugerem que o número total de espécies de formigas no mundo superem 25.000, estando a maior parte dos táxons não descritos nas florestas tropicais. Este trabalho consiste em um levantamento da fauna de formigas associadas à serrapilheira em um fragmento de vegetação nativa no município de Sinop - MT, Brasil. A mirmecofauna foi amostrada com a utilização de armadilhas tipo pitfall, durante o período compreendido entre setembro (2015) a fevereiro (2016), sempre na última semana de cada mês eram instaladas 10 armadilhas equidistantes 25 m ao longo de um transecto, permanecendo por 60 horas no campo. Os espécimes coletados foram morfotipados, contados e identificados. Foi analisada a influência das condições meteorológicas sobre o número de espécimes amostrados sendo utilizados dados de precipitação pluviométrica mensal (mm) dos meses de coleta, os dados foram obtidos da estação meteorológica instalada na UFMT, Campus de Sinop. Foram coletados 5.066 espécimes, distribuídos em 7 subfamílias, 23 gêneros e 35 morfoespécies. Myrmicinae foi à subfamília com maior riqueza, contribuindo com a maior parte das espécies coletadas (51,43%), seguida por Ponerinae (17,14%) e Formicinae (14,28%). Pheidole (Westwood, 1839) foi o gênero mais diverso, sendo representado por 6 morfoespécies, seguido pelo gênero Neoponera (Emery, 1901) com 3. As espécies mais abundantes no ambiente estudado foram Pheidole sp.1, Trachymyrmex sp.1 e Crematogaster arcuata (Forel, 1899) com 1.343, 1.144 e 897 indivíduos coletados respectivamente, essas espécies corresponderam a 66,8 % do total. Quanto as espécies raras, representadas por um único registro, foram amostradas 6 (seis) espécies. O Índice de diversidade Simpson (D) foi 0,8346 e o Índice de Shannon (H´)  foi igual a 2,601. Houve variação no número de indivíduos amostrados durante os períodos de coleta, sendo a maior abundância de formigas e maior número de espécies encontradas durante os meses de menor pluviosidade, setembro e outubro. A precipitação nos meses de janeiro e fevereiro pode ter influenciado na amostragem das formigas e consequentemente no número de espécies encontradas no levantamento. As formigas amostradas foram classificadas quanto a seus hábitos alimentares, sendo o maior número de espécies classificadas como onívoras (15; 42,86%), seguida pelas espécies predadoras (12; 34,29%), cultivadoras de fungos (6; 17,14%) e a menor abundância registrada para as formigas que se alimentam de líquidos e pólen (2; 5,71%).

Palavras-chave: Formicidae; serrapilheira; pitfall.