Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
EPIDEMIOLOGIA DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA EM SINOP, MATO GROSSO NO PERÍODO DE 2007 A 2015
Wagner Naves, Daliany Santos, Rene Etiene Guerci

Última alteração: 09-10-17

Resumo


A leishmaniose Tegumentar americana (LTA) é uma doença infecciosa, não contagiosa, crônica que acomete principalmente a pele e eventualmente mucosas.  É considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como um grande problema de saúde pública em 88 países, devido a sua magnitude, risco de causar deformidades e envolvimento psicológico, que consequentemente impacta no âmbito social e econômico. A doença é produzida por várias espécies de protozoários do gênero Leishmania, sendo a Leishmania (Viannia) braziliensis a espécie de maior prevalência no homem. As lesões típicas da LTA são úlceras arredondadas, com bordas elevadas e infiltradas, aspecto de moldura de quadro, apresentando tecido de granulação ao fundo, com coloração vermelho vivo, por vezes recobertas por exsudato seroso ou sero-purulento. O diagnóstico da LTA envolve os aspectos clínicos, epidemiológicos e laboratoriais (parasitológico ou imunológico). Para o diagnóstico definitivo é necessário a identificação do parasito (formas amastigotas em tecidos ou promastigotas em cultura). Devido a elevada incidência de casos de LTA no município de Sinop-MT e a escassez de informações epidemiológicas, foi realizado um estudo epidemiológico retrospectivo entre os anos de 2007 e 2015, com uma abordagem descritiva e quantitativa. Por intermédio dos dados obtidos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), disponível no portal DATASUS, buscou-se definir as características epidemiológicas da LTA em Sinop, Mato Grosso. Para análises dos dados e construções de gráficos e tabelas, foram utilizados os softwares office Word e Excel 2016 e TabWin 4.1.3. No período analisado, janeiro de 2007 a dezembro de 2015, foram notificados pelo SINAN um total 1236 casos de LTA. O ano de 2009 teve o maior número de notificações (237) e o de 2011 o menor (81). Houve predomínio dos casos entre os meses de junho e outubro, com pico de incidência no mês de agosto com 190 registros. O sexo masculino foi o mais acometido, predominando maior notificação na faixa etária entre os 20 e 50 anos. A forma cutânea apresentou 1199 registros e a mucosa 37.  Com os dados apresentados, verifica-se que Sinop é uma área endêmica. A alta incidência de notificações sugere que as medidas profiláticas e de erradicação da cadeia de transmissão sejam revistas pela Secretária de Saúde, principalmente as ações de conscientização da população sobre a doença.

Palavras chaves: Leishmaniose Tegumentar Americana; Sinop; Epidemiologia.


Referências


SAMPAIO SAP, RIVITTI EA. Dermatologia. 3 ed. São Paulo: Artes Médicas; 2008.

AZULAI RD, AZULAI DR. Tratado de Dermatologia. 3 ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan; 2004.

Manual de Vigilância da Leishmaniose Tegumentar/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. – 1. ed. atual. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2017.

OLIVEIRA, LS; NETO RVD; BRAGA PET. SANARE, Sobral, V.12, n.1, p. 13-19, jan./jun. – 2013.