Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
Vitrine em transição agroecológica: uma ferramenta de sensibilização na 33°Exponop
Giovana da Silva Wanderlei de Lima, Wisney de Oliveira Fontenele, Rafaella Teles Arantes Felipe

Última alteração: 05-10-17

Resumo


A grande dificuldade de difundir a agroecologia atualmente é a insuficiência de tecnologias e discernimento dos agricultores sobre o assunto. O desafio atinge uma dimensão ainda maior, quando se considera que esse tema abrange as relações social, ambiental e econômica, assim como, variáveis culturais, políticas e éticas da sustentabilidade, integrando-se de forma transdisciplinar. A partir disso, o objetivo do projeto de implantação da horta na forma de vitrine em transição agroecológica foi desenvolver um espaço demonstrativo com características agroecológicas para sociedade contemplar e gerar conhecimento sobre esse tema tão abrangente. O projeto foi desenvolvido no setor da agricultura familiar na 33° Exponop, local que recebeu um público de aproximadamente 220 mil pessoas. Foi construído um ciclo produtivo em pequena escala onde o intuito era demonstrar que as cadeias se interligavam e eram dependentes. Dessa forma, o espaço foi composto por uma horta em disposição mandala, farmácia viva, secadora de ervas e/ou frutos, compostagem, minhocário e espaço para demonstração de caldas que foram utilizadas para controlar agentes patogênicos e pragas no local. As culturas implantadas na mandala foram almeirão, arruda, rabanete, orégano, menta, hortelã, rúcula, coentro, cebolinha, hortelã e cravo-de-defunto, dispostas de forma a demostrar o papel das plantas repelentes e promovendo a agrobiodiversidade e sinergia destes elementos. Na farmácia viva foram cultivadas manjericão, boldo, alecrim, citronela, erva cidreira, sálvia, hibisco, losna e gergelim, com interesse de resgatar o conhecimento popular. A secadora teve o intuito de demonstrar para o pequeno produtor uma forma adicional de renda, uma vez que, é de fácil construção e pode gerar produtos (ervas e frutos desidratados). O minhocário e compostagem são voltados como forma do produtor obter seu próprio húmus ou adubo orgânico. A utilização das caldas demonstradas foi de extrema importância, uma vez que, em sistemas agroecológicos, não há utilização de agroquímicos. Em todos os espaços havia banners explicativos e monitores previamente capacitados para atender o público. A implantação da horta na forma de vitrine em transição agroecológica possibilitou sensibilizar produtores rurais, principalmente, agricultores familiares, sobre a possível utilização de algumas técnicas agroecológicas em suas propriedades.



Palavras-chave


agroecologia; exposição; agricultura famíliar.

Referências