Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
Prevalência de DCNTs e Fatores de Risco Associados em Mulheres Submetidas a Coleta de Exame Papanicolau no Município de Sinop - MT
Fábio Henrique Mendonça, Carlos Eduardo Rodrigues Lopes, Airton Lima

Última alteração: 05-10-17

Resumo


No Brasil ocorreram mudanças nos perfis demográfico e epidemiológico da população. Ao mesmo tempo em que verifica-se controle das doenças transmissíveis nas últimas décadas, resultando em diminuição das doenças infecciosas, houve um avanço significativo da prevalência das doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs). Essa mudança justifica o estudo dos fatores de risco e determinantes sociais das doenças crônico-degenerativas no país. O presente trabalho teve por objetivo identificar DCNTs existentes e fatores de risco associados. Foram entrevistadas 140 mulheres anteriormente a coleta de exame preventivo (Papanicoloau) em três unidades de saúde pública no município de Sinop-MT, que responderam a questões pré-elaboradas. Foram avaliadas algumas variáveis comportamentais e DCNTs existentes (hipertensão, diabetes, dislipidemia, cardiopatia, sedentarismo, prática de atividade física, câncer, histórico de câncer na família, etilismo e tabagismo). Os dados mostraram que 18,6% das entrevistadas possuem hipertensão; 5,71% têm diabetes, 14,3% apresentam dislipidemia e 64,3% relataram inatividade física. Os fatores de risco para DCNTs mais prevalentes foram sedentarismo (47,14%) e o histórico de câncer na família (37,86%). Em relação aos fatores considerados como saudáveis, 87,14% relataram não fazer uso de tabaco, seguido do não uso de bebidas alcoólicas (77,14%).  A prevalência do sedentarismo na população avaliada pode ser considerada como potencial problema de saúde pública, apresentando como situação de risco para o desenvolvimento de novas DCNTs somado a 42,14% que já convivem com alguma DCNT. O desenvolvimento de políticas públicas pode contribuir para a redução desses fatores, considerando que a maioria estão relacionados ao estilo de vida dos indivíduos.

Palavras-chave: Doença crônica, Estilo de vida, Hipertensão, Sedentarismo.