Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
A construção do saber na infância através da implantação de uma horta agroecológica escolar
Almir Pinto Santos Neto, Wisney de Oliveira Fontenelle, Flaviana Cavalcanti da Silva, Rafaella Teles Arantes Felipe, Iara Garcês Dias, Carlos Wilson Ferreira Alves, Fernanda Silva Lima

Última alteração: 06-10-17

Resumo


Hortas agroecológicas são espaços de produção de alimentos saudáveis, que respeitam a natureza e as comunidades envolvidas, diferente das hortas convencionais, as quais realizam suas produções com o uso de agroquímicos e agentes prejudiciais à saúde humana e animal; as hortas agroecológicas trabalham em harmonia com os seres envolvidos. A agroecologia, que representa o diferencial na horta em questão, reconhece o papel essencial de cada indivíduo envolvido, integra diversos fatores (ambientais, sociais, culturais e econômicos), não se limitando, apenas, às questões técnico-agronômicas. Com base na ciência agroecológica, o projeto intitulado “Agroecologia na escola: Construindo Saberes” foi elaborado com intuito de compartilhar com as crianças a noção de que é possível produzir alimentos sem provocar agressões ao meio ambiente. O projeto está sendo desenvolvido junto à escola Djalma Guilherme da Silva, localizada em Sinop-MT, ao lado do Câmpus Universitário da UFMT. A troca de conhecimentos proposta no projeto abarca ações que vão desde o preparo do solo até a colheita. Esse diálogo prevê o respeito aos conhecimentos e experiências colocados por cada aluno, com o acréscimo de saberes científicos. Inicialmente, foi realizado diagnóstico, por meio da aplicação de questionários, a fim de levantar as preferências dos alunos relacionadas à produção de frutas, verduras e legumes; pois toda a produção da horta seria voltada para a merenda escolar. Os plantios e semeaduras foram realizados em conjunto com as crianças, que traziam sementes e mudas de suas casas. A equipe responsável pelo Projeto teve a oportunidade de auxiliar na organização da feira de ciências da escola, dispondo de dois espaços; estes foram utilizados para passar um vídeo educativo, que retrata a relevância das feiras agroecológicas e os produtos que nelas existem, e para a realização de uma roda de conversa, para trocar conhecimentos acerca da agricultura em si e também para que os alunos expusessem seus sonhos, enquanto crianças, para o Brasil e no que tangem às suas futuras profissões. Foi um momento muito gratificante, tanto para a equipe, quanto para eles. A partir destes resultados iniciais, foi possível perceber que as ações socioeducativas desenvolvidas, baseadas nas práticas agroecológicas propostas, têm repercutido positivamente, tanto no processo de formação dos alunos da escola, como na formação dos acadêmicos que compõem a equipe responsável pelo Projeto, considerando-se a satisfação expressa no rosto das crianças, o apoio dos docentes de ambas as instituições e a oportunidade de construir, coletivamente, caminhos para a produção de alimentos saudáveis.