Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
DIAGNÓSTICO ANATOMOPATOLÓGICO DE DOENÇAS DE ANIMAIS DE COMPANHIA E SELVAGENS NA REGIÃO NORTE DE MATO GROSSO
Daniely Patricia Oenning de Souza, Kamilla Santiago Santos Bertipaglia, João Victor Pilocelli, Regina Tose Kemper, Emanuelle Luciana de Menezes Costa, Alice Heller Silva, Nadia Aline Bobbi Antoniassi

Última alteração: 06-10-17

Resumo


O diagnóstico de doenças que acometem animais é importante para um maior conhecimento sobre tais doenças e sobre a região onde ocorrem, ajudando a promover melhor qualidade de vida tanto aos animais quanto aos humanos, além disso, facilita a elaboração de programas sanitários, já que estes podem ser reservatórios de zoonoses. Quando se trata de animais selvagens, tal conhecimento é essencial na elaboração e execução de programas que visem a manutenção e prevenção da vida selvagem. De maio a agosto de 2017 foram encaminhados ao Laboratório de patologia animal (LAPAN) do HOVET, UFMT, para diagnóstico 196 amostras de animais de companhia e seis amostras de animais silvestres provenientes principalmente do HOVET e de clinicas particulares de Sinop e região. Para exames necroscópicos foram encaminhados 56 casos. Desses, 44 eram caninos, sete felinos, uma calopsita, um morcego, um gavião, uma arara, um porco espinho e um lobo guará. As afecções cardíacas foram as mais comuns entre os casos, seguida por afecções neurológicas,e respiratórias. Para exames anatomopatológicos foram recebidos 44 materiais provenientes de biopsia, onde 40 amostras eram de caninos e quatro de felinos. Os diagnósticos mais freqüentes nessas analises foram hemangioma com quatro casos, carcinoma túbulo papilar de mama em três e carcinoma epidermoide também observado em três casos, todos em caninos. Também foram realizados 102 exames citológicos, em sua maioria provenientes de biopsia aspirativa por agulha fina (CAAF), sendo 95 caninos e sete  felinos. O diagnóstico mais frequente em exame citológico foi neoplasia epitelial maligna mamária, com 16 casos em cães, seguido de lipoma com 13 casos, 9 em caninos e 3 em felinos e neoplasia epitelial benigna mamária com nove casos todos em cães. A maior casuísta do LAPAN no período estudado foi de animais de companhia, em especial caninos, e na maioria dos casos as análises estavam relacionadas a neoplasias de pele e mama, seguido de afecções no trato reprodutor e em menor quantidade afecções em trato digestório e em órgãos linfóides. Em 45 casos o diagnósticos ainda não foi estabelecido pois as analises estão em andamento, em outros casos o resultado foi inconclusivos devido ao envio de amostras insuficientes, devido a acentuada autólise ou mesmo por não apresentarem alterações significativas.

Palavras-chave: Citologia, necropsia, patologia.