Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
Caracterização da violência obstétrica: uma revisão bibliográfica
Carla Alexandra de Souza Santos, Mayrene Dias de Sousa Moreira Alves, Beatriz Gonçalves Caetano, Matheus Henrique da Fonseca, Priscilla Shirley Siniak Dos Anjos Modes, Vanda Patrícia da Silva Santos, Thaís Pereira da Silva

Última alteração: 17-10-18

Resumo


A violência obstétrica se define como toda ação ou atividade que traga prejuízo ousofrimento, de forma física ou psicológica a parturiente, durante o trabalho de parto pelos profissionais de saúde e/ou instituições, implicando em violação dos direitoshumanos. Apesar dos esforços do Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúdee a Política de Humanização do Parto e Nascimento com relação às ações de diminuiçãoda violência obstétrica no Brasil, observa-se que dentro dos serviços de saúde, os profissionais não associam os maus-tratos na assistência ao parto como formas de violência. Com a não identificação de forma de violência obstétrica pelo profissional de saúde acarretam-se sérios prejuízos à saúde materna e neonatal. Objetivou-se descreveras características da violência obstétrica realizado pela equipe de saúde, segundo aliteratura científica. Trata-se de uma pesquisa descritiva, qualitativa e bibliográfica,realizada nas bases de dados LILACS e SCIELO, realizada nos meses de fevereiro amarço de 2018. Utilizou-se os descritores Violência, Obstetrícia, Humanização da Assistência e Parto Obstétrico, e os cruzamentos foram realizados por meio do operadorbooleano AND. Foram incluídos artigos disponíveis na íntegra em português,publicados nos últimos 5 anos, e excluídos revisões bibliográficas que não atendiam àtemática e objetivo, totalizando 9 artigos, caracterizados por estudos do tipo transversal,descritivo-exploratórios, qualitativo, prospectivo e relatos de experiência. Os resultados foram organizados em categorias e discutidos conforme referencial teórico produzidosobre o assunto. Definiu-se duas categorias, sendo 5 artigos na Categoria I- Violênciaobstétrica direta que traz a violência física como a principal característica, tais como, aproibição da parturiente ter um acompanhante, administração de ocitocina a fim deacelerar o trabalho de parto, realização amniotomia e indução de cesariana sem indicação necessária e 4 artigos na Categoria II- Violência obstétrica indireta, em que aprincipal característica é a violência na forma verbal e ou psicológica, na qual a equipe multiprofissional comete violência psicológica e verbal a fim de intimidar a parturiente. A divulgação destes dados no meio acadêmico auxiliará na identificação das características de violência obstétrica, ofertará uma base para que os profissionais desaúde e acadêmicos que assistem a esta clientela revejam suas atitudes frente ao atendimento de uma mulher em trabalho de parto/parto, contribuirá com uma assistênciaqualificada, humanizada e respeitosa, de forma a auxiliar no processo de autonomia dessa mulher e eliminar qualquer tipo de violência obstétrica.


Palavras-chave


Violência; Obstetrícia; Humanização da assistência; Parto obstétrico.