Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE FÍSICA E FÍSICO-QUÍMICA DE FRUTOS DE PEQUI DA FAZENDA SOL NASCENTE DA REGIÃO DE UNIÃO DO SUL
Júlia Bess, Sabrina da Silva de Araújo, Brenda Paesano Grellmann, Débora Cecília Cabana Da Cruz, Marcos Alamino, Luisa Del Carmen Barrett Reina

Última alteração: 09-10-18

Resumo


O pequizeiro (Caryocar brasiliense) é uma especie endêmica do Cerrado Brasileiro movimentando a economia de muitas familias que habitam essas regiões. Pode ser comercializado e consumido pelas populações que vivem nas regiões em que é produzido, na forma de cremes, doces, sorvetes, ou in natura, acompanhando pratos típicos da região. Comumente encontrado no Cerrado Matogrossense, é um fruto altamente nutritivo, por isso é indispensável para a população do Cerrado. O objetivo desse trabalho foi realizar uma caracterização biométrica e físico-química de pequis provenientes da região Norte de Mato Grosso, com o intuíto de contribuir para um banco de dados que auxilie na identificação de bons genótipos para aplicações comerciais e industriais, com vista a formação de um banco de germoplasma. Coletaram-se aleatoriamente frutos inteiros de uma matriz de Caryocar brasiliense da Fazenda Sol Nascente no município de União do Sul-MT (latitude: 11°31’59” S, longitude: 54°21’10’’ O e altitude: 350 m), na safra 2017. Os frutos foram levados para o Laboratório Interdisicplinar em Pesquisas Químicas (UFMT-CUS). Se determinou a massa, diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, volume e esfericidade dos frutos e pirênios, assim como o número de pirênios por fruto e massa de polpa. A polpa foi analisada quanto a umidade, pH, acidez total titulável e sólidos solúveis. Para as variáveis massa, diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, volume, esfericidade e número de pirênios por fruto, dos frutos de pequizeiro, as médias foram, respectivamente, 297,84 g, 70,01 mm, 89,49 mm, 291,26 mL, 90,93 e 2,1. As médias encontradas nos pirênios para as variáveis massa, diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, volume e esfericidade foram 65,58 g, 38,61 mm, 57,89 mm, 66,74 mL e 85,92, respectivamente. A média da massa da polpa foi 74,36 g o que representa 25,0 % de rendimento com relação a massa do fruto, e o rendimento da massa do pirênio com relação a massa do fruto foi 22,0%. As médias para umidade, pH, acidez total titulável (% ácido cítrico) e sólidos solúveis (°Brix) foram 49,80%, 7,2, 0,161 e 2,7. Os resultados são superiores aos encontrados em pequis de outras regiões, com exceção da esfericidade, número de pirênios por fruto, umidade, pH e acidez total titulável, que foram semelhantes. Os sólidos solúveis foram inferiores aos encontrados na literatura. Com base nos resultados obtidos, os frutos analisados se mostram interessantes para comercialização e uso na indústria, portanto podem ser considerados para a formação de um banco de germoplasma.

Palavras-chave


Pequi; Análise física; Análise físico-química.