Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
ORIENTAÇÃO PRÉ E PÓS-OPERATÓRIAS DOS PACIENTES CIRÚRGICOS E ANÁLISE DA REDE DE ATENÇÃO CIRÚRGICA DO MUNICÍPIO DE SINOP - 2018
JOÃO PAULO SLONGO, ROGÉRIO MENDES PAMPLONA GOMIDE, FÁBIO HENRIQUE MENDONÇA DE OLIVEIRA, LUCAS BITTANCOURT, ROGER BENET DA SILVA SOUZA, VALDECI ALVES REZENDE, DANIEL PAULO DALLAGNOL

Última alteração: 17-10-18

Resumo


Não há como negar a importância da comunicação entre Centros de Saúde de diferentes complexidades quando se pensa em Redes de Atenção em Saúde (RAS) que respeitem os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo à luz da Integralidade em Saúde. Além disso, inúmeros estudos mostram os benefícios da assistência perioperatória, quando adequada. Nesse contexto, o projeto “Orientação pré e pós-operatórias dos pacientes cirúrgicos e análise da rede de atenção cirúrgica do município de Sinop - 2018”, desenvolvido pela Liga Acadêmica de Cirurgia Geral de Sinop (LACGS) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), busca a melhoria do aconselhamento cirúrgico oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde de Sinop no ambulatório de pequenas cirurgias do Centro de Especialidades Médicas (CEM) através da realização da orientação perioperatória. Ademais, analisar a comunicação das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e o ambulatório do CEM (atenção secundária) é essencial para aperfeiçoar os atendimentos. Aproximadamente 130 pacientes foram orientados, e 45% das etapas, concluídas. As atividades práticas e reuniões para discussão do funcionamento do ambulatório foram intercaladas semanalmente, e os alunos divididos em duplas. Assim, foram realizadas orientações quanto ao correto manejo de lesões, ferida, curativos, sanadas dúvidas quanto o consumo de medicações no pós-operatório, dieta, repouso e retorno às suas UBS para seguimento, recuperação e excisão dos pontos. Quanto à análise do serviço, destaca-se o número de encaminhamentos e diagnósticos inadequados preenchidos em Laudo para Solicitação/Autorização de Procedimento Ambulatorial (APAC), bem como a pobreza de informações nos prontuários, o que evidencia a deficiência de comunicação efetiva entre os níveis de atenção e prejudica a integralidade, tornando o ciclo de adoecimento/cura mais oneroso. Desta forma, os estudantes tiveram papel ativo na realização das atividades e na melhoria dos atendimentos, integrando serviço, ensino, educação, universidade e comunidade. Além disso, será entregue um documento à secretaria de saúde com os tópicos da análise do serviço, como os citados, a fim de facilitar a atuação da gestão pública em saúde na realização de melhorias na qualidade dos atendimentos oferecidos.


Palavras-chave


Integralidade em Saúde, Assistência Perioperatória, Centros de Saúde, Educação.