Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
Doses de cobre, boro, manganês e zinco corretivas aplicadas em superfície safra 2017/18
ALEX CORTEZIA cortezia, Anderson Lange

Última alteração: 17-10-18

Resumo


 

Com o aumento da população mundial tem-se a necessidade de também aumentar a produção de alimento nas áreas já produtoras e para isso há necessidade da correção do solo para que as culturas possam se desenvolver e demonstrar o seu máximo potencial produtivo, sendo assim o presente trabalho teve como objetivo avaliar diferentes doses de Zinco (Zn), Manganês (Mn), Cobre (Cu), Boro (B), e seu efeito sobra a produtividade da cultura da soja o trabalho foi realizado no oeste do estado do Pará na cidade de Belterra. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados (DIC) com parcelas de 8 metros de comprimento por 3,5 metros de largura, e foram colhidos 4 linhas de espaçamento de 50 cm por 4 metros de comprimento totalizando uma área de 12 metros quadrados, foram feito 5 blocos com 17 tratamentos que consistiam de Zn 0,07; 0,14; 0,21; 0,42 kg ha-1; Mn 0,05; 0,11; 0,16; 0,32 kg ha-1; Cu 0,04; 0,08; 0,13; 0,17 kg ha-1; B 0,13; 0,26; 0,39; 0,53 kg ha-1, aplicadas em superfície na forma de pulverização, com vazão de 0,5 litros de calda por parcela, aplicados após a semeadura da soja no mês de janeiro, com a finalidade da melhor distribuição destes na área da parcela. Nos resultados obtidos com o presente trabalho, que independente dos micros nutrientes aplicados ou suas diferentes doses, não se obteve diferença significativa para a produtividade, este resultado pode ter sido obtido pela baixa exigência destes micros nutrientes pela cultura da soja. Conclui-se que as doses e micros estudados não influenciaram significativamente a produtividade da cultura da soja.

 

 


Palavras-chave


MICRO, SOLO, FERTILIDADE