Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
ATENÇÃO A SAÚDE DO ADULTO E IDOSO
Carina Costa de Sousa, Rosangela Guerino Masochini, Sônia Vivian de Jesus, Alan Nogueira, Marcia Paese, Ilana Maria Coelho, Francisco Specian Junior

Última alteração: 09-10-18

Resumo


 

Carina da Costa de Sousa (Acadêmica Bolsista)1, Rosângela Guerino Masochini (Profa.Dra. Coordenador/a do Projeto/ Orientadora)2, Sônia Vivian de Jesus (Profa. Ms. do ICS – Sinop-UFMT)3,Alan Nogueira (Prof. Ms.  do ICS – Sinop- UFMT)4, Marcia Paese (Profa. Ms. do ICS – Sinop – UFMT)5, Ilana Maria Coelho (Enfermeira da UBS Jacarandás )6, Francisco Specian Junior (Médico da UBS Jacarandás )7.

 

Trata-se de um relato de experiência vivenciado junto a um grupo de usuários portadores de Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus em uma Unidade Básica de Saúde. O objetivo foi promover a educação em saúde, a partir da inter-relação entre o saber do usuário e o saber da equipe de saúde sobre a doença. Participaram em média 30 pessoas, em cada encontro grupal, foram planejadas temáticas sobre as doenças crônicas e assuntos de saúde no mês comemorativo: Setembro Amarelo, Outubro Rosa, Novembro Azul e Dezembro Vermelho. Foram realizados 10 encontros. Nos encontros os participantes elegeram o nome do grupo: Vida Leve: Envelhecer com saúde. Neste momento também foi abordado à importância da participação nos próximos grupos. Em quatro encontros foi aplicada a metodologia ativa, utilizando um dado construído de papelão, onde os participantes receberam um envelope colorido com perguntas sobre as doenças crônicas, a discussão foi em grupo estimulando a troca de experiências e contribuindo para construção do conhecimento. Além dessa troca de conhecimento foi distribuído o sal de ervas e entregue a receita para os participantes produzirem o sal em seus domicílios. Nos demais grupos foram convidados palestrantes para discussão das temáticas de acordo com o mês comemorativo. Em todos os grupos foi realizada a mensuração dos níveis pressóricos, glicemia capilar e oferecido café da manhã preparado pelas agentes comunitárias de saúde. No ultimo encontro foi realizado amigo secreto, com a presença de musico que alegrou o encontro ao toque da sanfona. Os participantes também verbalizaram a importância de conhecer sua patologia e a troca de experiência. Neste processo, foi estimulado que os participantes se tornassem sujeitos do autocuidado, a partir do conhecimento construído no coletivo. Neste contexto, a equipe de saúde atuou como agente facilitador da educação em saúde, tendo os participantes como co-produtores do processo educativo.

 


Palavras-chave


Enfermagem; educação em saúde; saúde coletiva; grupos.