Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
Intolerância a Lactose: Melhora na Qualidade de Vida Pós Diagnóstico na Atenção Primária - Relato De Caso e Revisão da Literatura
Rene Etiene Guerci, Thiago Rosado de Souza Rosado, Dilson Chamos Arruda, Wagner Naves, Lawrence Luciano Fernandes Bezerra

Última alteração: 01-10-18

Resumo


A intolerância à lactose é uma síndrome clínica com prevalência mundial de 70%, podendo acometer 5% de individuos ingleses, chegando até 100% da população de alguns países asiáticos, sendo incidência no Brasil de 44,11%. Caracterizada pela ocorrência de sintomas como dor abdominal difusa, náusea, diarréia, constipação, distensão abdominal após ingestão de leite ou derivados que contenham lactose. Tem como mecanismo fisiopatológico a deficiência ou ausência de lactase, enzimas responsáveis pela hidrolização da lactose. Pela heterogeneidade das manifestações, diversos diagnósticos podem ser atribuídos, juntamente com abordagens terapeuticas ineficazes, levando ao sofrimento físico e mental do paciente pela incerteza sobre sua real condição de sáude. Em virtude disso, o presente relato tem como objetivo demonstrar importância do diagnóstico dessa síndrome na atenção primária e consequências positivas deste sobre a qualidade de vida do paciente, pela elucidação da causa e instituição de abordagem terapeutica eficaz. O relato foi colhido na Unidade Básica de Saúde Primaveras, município de Sinop, Mato Grosso, por meio de exame clínico completo, em duas consultas: JAGT, 26 anos, sexo feminino, relata dor abdominal difusa moderada intensidade, dispareunia e constipação há 5 anos, sintomas mais exuberantes quando no período de obstipação intestinal. Refere ansiedade e apreensão, pelo fato de sintomas serem sugestivos de endometriose, pois há casos na familia, tendo realizado consultas de diversas especialidades sem resultado satisfatório. Exame fisíco: abdome indolor a palpação, distendido, rúidos hidroaéreos aumentados. Solicitado ultrassom transvaginal, exames laboratoriais e orientações, abordando  possibilidade de intolerância a lactose, com recomendações de suspensão de ingesta de leite e derivados, aumento do consumo de fibras e água. Após dois meses, retorna: resultado exames laboratoriais e ultrassom normais. Refere importante melhora na sintomatologia, com cessação da dor e distenção abdominal e da dispareunia, apresentando ritmo intestinal regular após retirado do leite da dieta. Diz que sente-se muito bem, diminuindo sensação de apreensão e ansiedade, acreditando ser diagnóstico correto. Exame físico sem alterações. Orientada a manter restrição a leite e derivados.

 


Palavras-chave


intolerância lactose; atenção primária; qualidade de vida.