Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
DESENVOLVIMENTO INFANTIL NA ABORDAGEM HUMANISTA: APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
Valéria Melo Souza, Bruna Oliveira Magnani, Daiane Paula Silva, Lenira Oliveira Antunes, Antoniele Gomes Cavalcante

Última alteração: 17-06-19

Resumo


Este trabalho busca focalizar o desenvolvimento humano infantil, a partir da abordagem humanista de Carl Rogers, de forma a auxiliar na compreensão dos educadores e dos pais da importância dos aspectos afetivos, juntamente com os aspectos corporais, que desde muito cedo já fazem parte da vida da criança, englobando-o como um todo, não focando somente em uma parte. Para tanto, a pesquisa inclui a compreensão sobre desenvolvimento cognitivo e os vínculos que se formam no decorrer de todo o crescimento das crianças, focando principalmente na primeira infância. O trabalho consiste em uma pesquisa qualitativa, de caráter bibliográfico, com base em livros, sites e artigos que explicam o desenvolvimento da criança e reforçam a importância da aprendizagem significativa nesse processo. O objetivo é evidenciar como se dá o desenvolvimento na primeira infância sob a ótica da abordagem humanista, de forma a auxiliar na compreensão dos educadores e dos pais a importância da aprendizagem significativa no desenvolvimento infantil. O desenvolvimento infantil será realizado conforme acontecerá a interação entre o crescimento físico, cognitivo e sócio afetivo, nesse processo as relações interpessoais são de extrema importância, pois é por meio das relações humanas que a criança demonstra seu jeito de ser. A partir da constituição de noção de self, a criança necessita do que Rogers nomeia de condições necessárias e suficientes para o desenvolvimento da personalidade da criança, presentes nas suas relações pessoais, a contar de sua busca por atualização das potencialidades, e não do seu comportamento. O princípio básico da Abordagem Humanista é a tendência à atualização, onde o indivíduo tem sempre uma tendência ao crescimento, capacidade de se desenvolver, a alcançar suas potencialidades, quando houver um clima facilitador para tal. E como atitudes facilitadoras do desenvolvimento humano são apresentados os conceitos como compreensão empática, que é colocar-se no lugar do outro, compreendendo-o e comunicando essa apreensão; congruência significa expressar-se quanto pessoa na relação de ajuda, sendo autêntico; e consideração positiva incondicional é se relacionar com uma pessoa acreditando em seu potencial de desenvolvimento independentemente de quais sejam seus pensamentos, sentimentos e atitudes, sem julgamentos e juízo de valor. Iremos apresentar também a importância da presença desses princípios básicos por parte do educador para que ocorra uma aprendizagem significativa. Em seu livro Tornar-se pessoa (2001), Rogers nos diz que entende por aprendizagem significativa aquela que proporciona uma modificação no comportamento, nas atitudes e ações futuras ou na própria personalidade. Segundo ele é uma aprendizagem que penetra intensamente em todas as áreas da sua existência, que não se limita somente em aquisição de conhecimentos. Uma aprendizagem significativa, capaz de mudar o comportamento do indivíduo é a autodescoberta, o autoconhecimento, para ele aprender é ser a própria pessoa a descobrir o aprendido, a própria pessoa a estabelecer o que é aprendido, através da experiência, assim, nada do que nos digam, nos apresentam, nos comuniquem, é verdadeiramente aprendido. Esse tipo de aprendizagem envolve toda a pessoa, não apenas seu intelecto, se tornando um aprendizado contínuo e eficiente. Na concepção de Rogers, o professor não detém o conhecimento a ser transmitido para o aluno, o mesmo é o facilitador desse processo de ensino aprendizagem, criando condições propícias para isso, pois o aluno sabe melhor do que qualquer outra pessoa o que ele quer e precisa aprender, então ele é o principal elaborador de seu conhecimento. Ensinar e aprender é muito além de comunicar um conhecimento por parte do professor, e aprender esse conhecimento comunicado por parte do aluno, pois para o autor isso não tem grande influência sobre o comportamento. Com esse trabalho foi possível identificar a dominância, nas publicações pesquisadas, dos conceitos cognitivos ou afetivos-interacionais, e também da relação professor-aluno, do processo de facilitação de ensino-aprendizagem, pois enquanto outras teorias focam no aprender, Rogers enfatiza a pessoa que aprende, o aluno, e traz o professor como um facilitador de conhecimento, e não aquele que detém e transmite o mesmo.

Palavras-chave: Psicologia Humanista; Abordagem Centrada na Pessoa; Aprendizagem significativa; Desenvolvimento infantil.

Referências:

BACELLAR, Anita (Coord.). A psicologia humanista na prática: Reflexões sobre a Abordagem Centrada na Pessoa. Palhoça: Editora Unisul, 2017.

FONSECA, Maria de Jesus Martins da. Carl Rogers: uma concepção holística do homem. 2010.

ROGERS, Carl R. Tornar-se pessoa. 5 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.