Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, SEMINÁRIO DO ICHS – Humanidades em Contexto: saberes e interpretações (2014)

Tamanho da fonte: 
O RETRATO SOCIAL BRASILEIRO NO TEATRO COM OS SEUS SIGNIFICADOS, TRAJETÓRIAS E TENDÊNCIAS.
Sandro Luis Costa da Silva

Última alteração: 19-07-17

Resumo


Este artigo investiga o viés comum que perpassa o conjunto das obras teatrais de Maria Clara Machado, publicadas entre 1950 e 2000, desenvolvendo reflexões a partir desta dramaturgia e das experiências práticas que levaram para o palco três obras da autora: Pluft, o fantasminha (1950) , A menina e o vento (1968) e O Dragão Verde (1995). A autora Maria Clara Machado tornou-se uma referência e sua obra é denominada atualmente como sendo um “teatro infantil”. Esta pesquisa discute comportamento e imaginário social, através de uma reterritorialização no campo teatral, tendo como contexto histórico desde a chegada do teatro no Brasil durante o processo colonial, evidenciando-o como instrumento comunicacional a serviço do colonizador, até chegar no momento em que ele se constitui como uma produção  artística, mas voltada para um público específico, a plateia infantil. A fundamentação teórica retoma o conceito território proposto em Mil Platôs por Deleuze e Guatarri, mas dialoga com a teoria de Bruno Bettelheim (1980), entre outros autores para discutir o fazer artístico contemporâneo no campo da produção cultural.


Palavras-chave


Linguagem; Crítica; Símbolos; Repercussão

Texto completo: PDF