Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, SEMINÁRIO DO ICHS – Humanidades em Contexto: saberes e interpretações (2014)

Tamanho da fonte: 
METROPOLIZAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DE CUIABÁ: SONHOS E DESEJOS DA CIDADE NO PÓS- DIVISÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO (1977-1985)
Nathália Costa Amedi

Última alteração: 22-07-17

Resumo


Após a divisão do Estado de Mato Grosso em 1977, Cuiabá, sua capital se vê diante de um novo desafio. O objetivo, naquele momento, era livrar-se da “estagnação”, do “atraso” e do “isolamento” que parecia viver Mato Grosso e sua capital através das obras de modernização que passaram a ser feitas na cidade, a configuração da capital naquele momento como símbolo do Mato Grosso grande e moderno – um lugar a ser feito ou (re)inventado. Neste trabalho que é parte da dissertação A invenção da capital eterna: discursos sensíveis sobre a modernização de Cuiabá no período pós-divisão do Estado de Mato Grosso (1977-1985) analisaremos as interpretações sobre as obras de modernização da cidade como a superação da condição de “espera”, “isolamento”, “atraso” e “estagnação” da cidade. Neste sentido, tomaremos por referência os discursos e propagandas forjados no contexto do pós-divisão (1979-1985). Cuiabá como cidade Portal de entrada para a Amazônia – ideia que foi propagandeada pelo governo militar em 1970, onde caberia a Mato Grosso a responsabilidade de integração da Amazônia – passou nos anos 1960, por um processo de mudanças profundas na economia local, na vida urbana e no espaço urbano, com uma nítida aceleração nos anos 1970 e 1980, principalmente com o fluxo migratório e a expansão das frentes pioneiras de colonização, encarnando assim o desejo de uma produção capitalista contemporânea. Isso acarretou também diversos problemas para a cidade como aumento da criminalidade, favelização e problemas de mobilidade urbana. Desde esse período, em especial a partir dos anos 1980, a capital de Mato Grosso tem vivenciado inovações nos seus padrões de construção, com a verticalização dos espaços da cidade, ao lado da abertura de avenidas e construção de viadutos, definindo novas paisagens urbanas, contextualizadas no processo de “metropolização” e de configuração da “rede urbana estadual”. Uma nova estética da cidade começou a surgir e se impor modificando o sentido que as pessoas têm sobre ela, assim como seus costumes seus gostos e comportamento.


Palavras-chave


Cuiabá; Metropolização; Modernização; Estética

Texto completo: PDF