Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, SEMINÁRIO DO ICHS – Humanidades em Contexto: desafios contemporâneos (2017)

Tamanho da fonte: 
A feminização da docência: processo e destaques cuiabanos no século XX
Geisa Luiza ARRUDA

Última alteração: 17-05-18

Resumo


O presente artigo tem como objetivo a apresentação do processo de feminização da docência no Brasil e, em especial, abordar brevemente a biografia de duas mulheres cuiabanas que se destacaram nesse processo: Maria Dimpina Lobo Duarte e Bernardina Rich. O campo da docência foi paulatinamente tornando-se uma atividade vista como natural exercício das mulheres, processo ao qual deu-se o nome de “feminização”. Buscamos apresentar como tal processo encontra-se recheado por regras e limites impostos pela sociedade patriarcal do início do século XX e como as professoras Maria Dimpina e Bernardina Rich representam mulheres que, de uma certa forma, com seus atos e discursos, vão na contramão de uma sociedade em que à mulher era permitido apenas a esfera privada do lar. Além disso, há o destaque para o enfrentamento ao preconceito racial na história da professora Bernardina Rich.

Palavras-chave


Docência; Gênero; Feminização

Referências


BORGES, Fernando Tadeu de Miranda. Casamento e educação dos filhos no olhar de uma cuiabana letrada: Maria Dimpina. In: PERARO, Maria Adenir; BORGES, Fernando Tadeu de Miranda (Orgs). Mulheres e famílias no Brasil. Cuiabá, MT: Carlini & Caniato, 2005.

FERREIRA, Márcia Ondina Vieira. Docência e Gênero. In: COLLING, Ana Maria; TEDESCHI, Losandro Antonio (Organizadores). Dicionário crítico de gênero. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2015.

GOMES, Nailza da Costa Barbosa. Uma professora negra em Cuiabá na primeira república: limites e possibilidades. Dissertação de Mestrado em Educação. UFMT, 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 12.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

________. Mulheres na sala de aula. In: PRIORI, Mary Del (org.). História das Mulheres no Brasil. 9.ed. São Paulo: Contexto, 2007.

PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 77-98, 2005.

PISCITELLI, Adriana. Gênero: a história de um conceito. In: ALMEIDA, Heloisa Buarque de; SZWACO, José Eduardo (Org.). Diferenças, igualdades. São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 2009.

SILVA, Gisleine G. Uma mulher educada, educa cem homens: a Revista “A Violeta” e a educação feminina durante o período estadonovista em Cuiabá. Dissertação de Mestrado em Educação. UFMT, 2003.

 


Texto completo: PDF